sexta-feira, 9 de abril de 2010

EU VIVO SEM DESTINO, 1933


Sylvio Caldas gravou este samba de Wilson Batista, Osvaldo Silva e dele próprio (Sylvio)
em 17 de janeiro de 1933.
Ele é acompanhada da excelente orquestra Grupo da Guarda velha, dirigida por Pixinguinha.
Disco Victor nº 33.690-A, matriz 65649-2, lançado em agosto de 1933.




Agora eu vivo sem destino
Penando como um peregrino
A mulher que eu mais gostava neste mundo
Foi-se embora com o amor
de um vagabundo
(Pois foi)

A minha mobília ela empenhou
Vejam vocês em que estado me deixou
Não faz mal eu entrego a Deus
Vai se arrepender de todos os pecados seus
(Birigo digo tacatatraco beleléu)

Fiquei bem mal
quase andei no lodo
E depois disso
foi-se o meu dinheiro todo
Não sou malandro
tenho o meu valor
A mulher não gosta
do homem trabalhador






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...