sábado, 27 de agosto de 2011

Explicações

Prezados amigos,
o blog esteve parado esses dias por um motivo técnico: meu notebook quebrou.
A semana Rodolfo Valentino continuará.
Obrigado,
Marcelo

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

A HISTÓRIA DE RODOLFO VALENTINO, parte 2

Como Julio Desnoyers, Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, 1921.


Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse foi um grande sucesso. Mas o estúdio achava que quem merecia os créditos de tal feito era a estrela Alice Terry (a mesma Alice Taaffy que, como Valentino, foi figurante em Alimony, em 1918) e seu esposo, o diretor Rex Ingram. Embora o astro principal tivesse se destacado, foi escalado na próxima produção para um filme de ação, Corações Cegos (Unchanted Seas, 1921), com Alice Lake e dirigido por Wesley Ruggles. Essa produção teria prejudicado seriamente sua carreira se seu fascínio sobre as mulheres não se exercesse mais uma vez.

Nessa época uma das grandes atrizes da Metro era Alla Nazimova que insistiu em ter Valentino como par em seu próximo filme.
Com roteiro de June Mathis e baseado no romance La Dame aux Camélias, de Alexandre Dumas Filho, A Dama das Camélias (Camille, 1921) foi dirigida por Ray C. Smallwood, com decoração e vestuários expressionistas de Natasha Rambova. Alla Nazimova e Valentino formavam o par principal.


O romance de Dumas Filho conta a história de Marguerite Gautier, uma bela cortesã na Paris de meados do século XIX que se apaixona pelo jovem Armand. Um amor impossível que se desenvolve em um trágico final.
Sempre que o romance foi adaptado para o teatro ou cinema, a época e cenários retratados se passavam no século XIX, com todo o glamour de Paris.
Porém, na adaptação de June Mathis com direção de arte de Natasha Rambova, a história se passava na contemporaneidade. Chega a ser futurista o quarto de Marguerite. Creio que, até hoje, foi a única versão moderna do romance. E nos dias de hoje ainda impressiona pela ousadia.


Alla Nazimova era uma atriz de teatro muito respeitada e prestigiada, tendo trabalhado vários anos com Stanislavsky e sendo considerada a melhor intérprete das peças de Ibsen. Era russa e fez uma carreira de sucesso em Hollywood. Foi proprietária da famosa mansão Jardim de Allah, conhecida por suas festas suntuosas e escandalosas. Seu prestígio era tanto no cinema que o filme começa com o nome Nazimova acima do título do filme, que também produzia (Nazimova Productions). Ou seja, só seu sobrenome tinha um peso enorme e era quem garantia a qualidade da produção.
No início do filme, já sabemos que será uma versão modernizada do romance. Há um contive para esquecer as crinolinas do romance original e imaginar a mesma história na atual geração.


Alla Nazimova em Camille, 1921.

Nazimova e Valentino, Camille, 1921.


Nazimova e Valentino, Camille, 1921.
(Foto-poster, clique na foto para ver em tamanho natural).



Surge Natasha


Natasha Rambova em 1922

Winifred Shaughnessy, mais conhecida como Natasha Rambova, era natural de Salt Lake City. Filha adotiva do milionário Richard Hudnut, “tinha um incansável desejo de guiar a vida de outras pessoas, e Nazimova colocara-se completamente sob seu controle”. Provavelmente fora Natasha quem influenciou sua amiga a escolher Valentino como par.
Assim como Nazimova, Mercedes de Acosta, a própria Jean Acker, Natasha fazia parte de um seleto grupo de lésbicas na comunidade cinematográfica de Hollywood. Mulheres belas, elegantes e inteligentes, eram respeitadas por sua cultura e bom gosto. Vária delas casaram-se para manter as aparências perante os estúdios e fãs, embora entre os colegas não fosse preciso disfarçar tanto. Creio que para os atores homossexuais deveria haver uma maior cobrança para “manter as aparências”, pois, para a época, a imagem dos galãs e heróis das telas sempre era associada ao perfil do homem másculo e viril. Os estúdios manipulavam severamente a vida de seus contratados  para que fosse passada ao público a melhor imagem de seus astros; a imagem que a sociedade da época julgava melhor e apropriada...


Natasha Rambova

Natasha passou a guiar Valentino e a fazê-lo tomar consciência de seu prestigio. Ele pediu aumento de salário usando da arma que dispunha: a falta de cooperação.
Quando filmava Eugenia Grandet (The Conquering Power, 1921), uma adaptação do romance de Balzac por June Mathis, novamente com Alice Terry como protagonista e direção de Rex Ingram, ele brigou muito com Ingram. O filme não teve um êxito retumbante e a Metro deixou que seu contrato expirasse.

Mais uma vez sua carreira iria ser impulsionada por uma mulher, Jeanne Cohen, que trabalhava para o chefão da Famous Players, Jesse Lasky. Vale lembrar que Famous Players-Lasky Corporation viria a se tornar Paramount Pictures. Ela costumava lhe indicar textos literários que poderiam vir a serem filmados. Um deles foi The Sheik, escrito pela romancista Edith M. Hull. Lasky não só concordou em filmar o romance como, influenciado por Jeanne, contratou Valentino. “Este ficou entusiasmado, pois ali estava um papel ainda mais romântico que o de Julio, porém Natasha achou a história um lixo e tentou persuadi-lo a não aceitar o compromisso”.
Entretanto, mesmo sofrendo forte influência de Natascha, Valentino não deixou que ela interferisse dessa vez e resolveu filmar Paixão de Bárbaro (The Sheik, 1921). A direção ficou a cargo de George Melford, a protagonista era Agnes Ayres e ainda contava com a participação de Adolphe Menjou. Quando foi lançado, em novembro de 1921, o filme foi uma sensação.


Cartaz de The Sheik, 1921


Valentino e Agnes Ayres, The Sheik, 1921

Valentino e Adolphe Menjou, The Sheik, 1921

Se voltarmos no tempo e nos imaginar vivendo nas primeiras décadas do século XX talvez possamos compreender o fascínio que o cinema mudo, seus astros e estrelas exerciam nas platéias. Nos anos 1900 e 1910, começamos a conhecer nomes como Norma Talmadge, Charles Chaplin, Pearl White, Mabel Normand; as vamps surgiram com Theda Bara, em meados dos anos 10, seduzindo a platéia masculina e criando tendências. O público feminino conhecia e se impressionava com a virilidade de Douglas Fairbanks desde 1915. Em 1921, ao verem Rodolfo Valentino em The Sheik, as mulheres não só suspiravam longamente como eram acometidas de uma estranha e gostosa sensação. Quem seria aquele belo homem que olhava de modo diferente para as mulheres?


Valentino em The Sheik, 1921


Como escreveu A. C. Gomes de Mattos, “não havia nenhum filme como Paixão de Bárbaro. Não havia ninguém como Valentino. Ninguém que olhasse para suas heroínas com tal mistura de paixão e melancolia, deixando as fãs eletrizadas, realizando seus devaneios de amor ilícito e desinibido”.
Ou seja, nascia um novo tipo de galã. Eu diria, até, um galã contemporâneo. Os anos 20, ao contrário das duas primeiras décadas do século XX, revolucionaram todo um comportamento. Mesmo ainda oprimidas, a maioria das mulheres podiam sonhar por algumas horas, no escuro do cinema, com Valentino, seus olhares e beijos, e se colocarem no lugar de Agnes Ayres e, juntos, percorrerem o deserto em um veloz cavalo.

Valentino e Agnes Ayres, The Sheik, 1921

Logo depois, o estúdio o colocou em De Marujo a Comandante ou A Ferro e Fogo (Moran of the Lady Letty, 1922), adaptação de um romance de Frank Norris. A direção era de George Melford e Dorothy Dalton era a protagonista.
O filme seguinte seria Esposa Mártir (Beyond the Rocks, 1922), com direção de Sam Wood e tendo como companheira a maior estrela da Paramount, Gloria Swanson.


Gloria Swanson e Valentino em Beyond the Rocks, 1922. 


Gloria Swanson e Valentino em Beyond the Rocks, 1922.
(Clique na foto para ver em tamanho original). 



Sua carreira estava novamente em ascensão. Ele pediu o divórcio a Jean Acker para se casar com Natasha Rambova. Enquanto isso, Lasky escolhia seu próximo filme. Coube à June Mathis a adaptação para as telas de Sangre y Arena, romance de Ibañez.
Sangue e Areira (Blood and Sand, 1922), seria dirigido por Fred Nilbo e teria duas estrelas contracenando com o astro, Lila Lee (como a terna Carmen) e Nita Naldi (como a fatal Doña Sol). Ele interpretaria o toureiro Juan Gallardo.


Como o toureiro Juan Gallardo, Sangue e Areia, 1922.
(Clique na foto para ver em tamanho original).


Valentino e Lila Lee, Sangue e Areia, 1922.

Doña Sol (Nita Naldi) preparando o ataque a Juan (Valentino). Sangue e Areira, 1922.

Valentino e Nita Naldi, Sangue e Areia, 1922.

Valentino e June Mathis no set de Sangue e Areira, 1922.

Valentino, impaciente, não esperou o término do processo de divórcio e se casou com Natasha a 13 de maio de 1922, em Mexicalli. Mesmo com o sigilo, os jornais de todo o país alardearam a notícia, provocando um escândalo. Em um sábado, pela manhã, Valentino foi preso, acusado de bigamia. O juiz fixou uma fiança de 10 mil dólares. Natasha partiu sozinha para Nova Iorque, para amenizar a situação.


Nastasha e Valentino


Valentino e Natasha.
(Clique na foto para ver em tamanho original).

Para a grata surpresa da Paramount, o escândalo não abalou a popularidade de Valentino. No entanto, após participar (contra sua vontade) de O Jovem Rajá (The Young Rajah, 1922), com direção de Phillip Rosen, roteiro de June Mathis e tendo Wanda Hawley como parceira, ele levou uma suspensão, rumando “para perto de sua querida Natasha, porém, mantendo cuidadosamente residências separadas”.


Valentino e Wanda Hawley, O Jovem Rajá, 1922.
(Clique na foto para ver em tamanho original) 

Seu contrato com a Paramount o impedia de fazer filmes para outras companhias, mas, não o impedia de se apresentar pessoalmente. No final de 1922, George Ullman tornou-se seu agente, “programando uma excursão dele e Natasha pelo país, formando uma dupla de dançarinos em espetáculos patrocinados pela Mineralava Beauty Clay Company Limited. Ele ganhava dez vezes mais o que a Paramount lhe pagava.

Após dez dias de concedido o divórcio, em março de 1923, Valentino e Natasha se casaram, pela segunda vez. O show da dupla era um grande sucesso e a Paramount chegou a um acordo. Agora, com o novo contrato, ele estava “no mesmo nível de seus grandes contemporâneos, Mary Pickford, Douglas Fairbanks e Charles Chaplin”. À Natasha, o contrato dava o direito de aprovação final da história e da produção. Após assinarem toda a documentação, os dois partiram para a Europa.

No fim de 1923, começaram as filmagens de Monsieur Beaucair (Monsieur Beaucaire), sob a direção de Sidney Olcott, tendo no elenco Bebe Daniels, Lois Wilson e Doris Kenyon. “Natasha mostrou suas garras. Ela ia ao set constantemente e, sem dúvida alguma, sua palavra era lei”. O filme foi bem produzido, dando bastante lucro.


Monsieur Beaucair, 1923.

Monsieur Beaucair, 1923.


Monsieur Beaucaire, 1923.
(Clique na foto para ver em tamanho original)


Confiram um trecho de Monsieur Beaucaire







O filme seguinte renderia muito mais...
(Confiram a parte 3)







Agradecimento à Donna Hill, 
criadora da homepage Falcon Lair - The Rudolph Valentino Homepage (http://www.rudolph-valentino.com)


Fontes:
Revista Cinemin nº 26, 5ª Série, Agosto de 1986, artigo "A História de Rodolfo Valentino", de A. C. Gomes de Mattos. Pertencente ao Arquivo Marcelo Bonavides.


Vídeo Monsieur Beaucaire:
Canal IrishEyez01, no Youtube.

Camille:
http://www.britannica.com/EBchecked/media/97273/Alla-Nazimova-and-Rudolph-Valentino-in-Camille-directed-by-Ray
http://vickeyk.hubpages.com/hub/Garden-of-Allah-Old-Hollywood
http://silenceisplatinum.blogspot.com/2010/03/miss-alla-nazimova.html
http://www.flixster.com/photos/alla-nazimova-camille-1921-alla-nazimova-10852928
http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/resumos_comentarios/a/a_dama_das_camelias

June Mathis:
http://www.filmreference.com/Writers-and-Production-Artists-Lo-Me/Mathis-June.html
http://en.wikipedia.org/wiki/File:June_Mathis_and_Rudolph_Valentino.jpg

The Sheik:
http://www.chambel.net/?p=78
Blood and Sand
http://www.archive.org/details/blood_and_sand_digest

Natasha Rambova:
http://www.imdb.com/name/nm0708118/
http://en.wikipedia.org/wiki/Natacha_Rambova
http://thefrenchsampler.blogspot.com/2011/01/natacha-rambova.html
http://artsmeme.com./

Rodolfo Valentino:
http://didyoujustseewhatisaw.blogspot.com/2011/05/if-they-were-alive-today_06.html
http://silverscreenscribblings.wordpress.com/tag/rudolph-valentino/
http://rudolphvalentino.org/rudy.html
http://rudolph-valentino.blogspot.com/2010_10_01_archive.html
http://parasemprehollywoodastros.blogspot.com/2010/07/rodolfo-valentino.html
http://www.answers.com/topic/rudolph-valentino-large-image-1
http://www.art.com/products/p15381342-sa-i3712265/rudolph-valentino-c1920s.htm
http://www.allposters.com/-sp/Portrait-of-Sheik-Rudolph-Valentino-1921-Posters_i5097306_.htm
http://www.art.com/products/p15381342-sa-i3712265
/rudolph-valentino-c1920s.htm
http://thetarnishedangels.blogspot.com/2009_02_01_archive.html
http://www.flickr.com/photos/11136072@N00/204326354/in/photostream/






terça-feira, 23 de agosto de 2011

RODOLFO VALENTINO, 85 ANOS DE SAUDADE

Há exatos 85 anos falecia o grande astro Rodolfo Valentino.
O Blog o estará homenageando essa semana com artigos, fotos, 
gravações e trechos de filmes sobre sua vida e carreira.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

A HISTÓRIA DE RODOLFO VALENTINO, parte 1

Revista Cinemin, 1986.

Rodolfo Alfonso Raffaello Pierre Filibert Guglielmi di Valentina D'Antonguolla, nasceu na aldeia de Castellaneta, Tarento, na Itália meridional, a 06 de maio de 1895.
Era filho de Giovanni Antonio Giuseppe Fidele Guglielmi e Marie Berthe Gabriella Barbin (1856 - 1919). Sua mãe era francesa. Seu pai era veterinário e morreu de malária quando Rodolfo tinha 11 anos. Tinha um irmão mais velho, Alberto (1892 - 1981) e uma irmã mais jovem chamada Maria. Havia uma irmã mais velha, Beatrice, que morreu ainda pequena.
Quando pequeno, Rodolfo não se comportava no colégio e seus pais sempre eram chamados pelos professores. Viveu em Paris, 1912, voltando à Itália. Pela falta de emprego, optou por ir aos Estados Unidos.


Gabriella Guglielmi
Giovanni Guglielmi






















Vamos reproduzir trechos da matéria "A História de Rodolfo Valentino", de A. C. Gomes de Mattos, publicada na Revista Cinemin, de 1986.
"Em 1913, chegou à America, sonhando, como muitos outros imigrantes, em fazer fortuna na nova terra".
Primeiro, empregou-se como jardineiro em Long Island. Em um ano, já falava razoavelmente o inglês e descobriu seu talento para a dança. 
Sua parceira de dança favorita era Bess Dudley, e o casal era um sucesso.  Quando Bess se casou, Rodolfo juntou-se a Joan Sawer para dançar, mas não se sabe se tiveram o mesmo êxito.
Por essa época, ele tomou aulas de pilotagem, querendo ingressar na aviação italiana, porém, foi reprovado no exame de vista.

Em 1917, integrou o elenco do musical The Masked Model, excursionando pelo país. Ao final da tournée, seduzido pelo sonho de ser um próspero cultivador de videiras na California, juntou suas economias e foi para São Francisco. Sua idéia não deu certo e, tendo ficado sem nenhum tostão nos bolsos conseguiu um lugar no coro de uma produção local, Nobody´s Home. Após três semanas, a temporada terminou e ele foi vender livros de porta em porta. Findando o sonho de ser um rico colhedor de uvas, Rodolfo tentou se alistar na Força Aérea Britânica, onde foi novamente rejeitado.

Na primeira tentativa de se tornar piloto, conheceu Norman Kaiser que, como Norman Kerry, tentaria carreira no cinema. Kerry participava do filme A Intrépida Americana (The Little American, 1917), no qual Mary Pickford era a estrela. Ao que parece, o amigo conseguiu alguma figuração para Rodolfo que também (escondido) foi com a companhia no trem para Los Angeles. Nesse trem estava Al Jolson que, impressionado com o belo físico do jovem clandestino, profetizou-lhe um grande triunfo na tela.

Kerry acomodou Rodolfo no Hotel Alexandria, onde estava hospedado. Começou a promover o amigo, acompanhando-o aos estúdios. A primeira oportunidade veio como extra numa sequência de Alimony (1918), com direção de Emmet Flynn (que trabalhava para William Fox), e estrelado por Josephine Whittel. O diretor apontou  ao roterista do filme, Hayden Talbo, o jovem figurante. "Talbot observou Rodolfo com interesse e, nesse ínterim, no set, o rapaz, como sempre atraente para as mulheres, fez amizade com outra figurante, Alice Taaffe". Depois, ela mudaria seu nome para Alice Terry, se casaria com o diretor Rex Ingram, que faria de Alice e Rodolfo astros da constelação de Hollywood.

Talbot escreveu um papel para Rodolfo no filme The Married Virgin (1918), onde ele interpretava um conde italiano, e assinava como Rodolpho di Valentina. Essa produção independente só foi lançada em 1922, devido a uma disputa legal, com o título de Esposas Frívolas (Frivolous Wives). Com esse fracasso, voltou a dançar para se sustentar. Em Los Angeles era visto dia após dia e seu rosto foi ficando conhecido por pessoas importantes. Fora o fato de dançar muito bem, ele investiu em várias séries de exercícios de ginástica, inclusive praticando boxe com aptidão, tornando seu físico mais atraente aos olhos de todos.






Em 1918, participou de dois filmes, onde a estrela era Carmel Myres. Amigos do Escândalo ou Sensação Social (A Society Sensation) e Uma Idéia Feliz ou Uma Noite Como Poucas (All Night), foram dirigidos por Paul Powell. Os filmes lhe deram mais promoção.
Uma noite, ao dançar em Los Angeles, avistou a atris Mae Murray e seu marido na época, o diretor Robert Z. Leonard. Logo tirou a famosa estrela para dançar. O resultado: participou de dois filmes da atriz dirigidos por Leonard, A Irresistível Helena ou Nos Cabarés de Nova Iorque (Delicious Little Devil) e Repudiada (The Big Little Person), ambos de 1919.

Após cinco filmes passou a assinar Mr. Rudolph Valentino. "Poder-se-ia conjeturar que ( ele) não tinha aquele algo mais". Após as chances de brilhar, nada acontecia de novo.  No entanto, ele fazia amizades.

Depois disso atuou em breve momentos em fitas como Amores de um Ladrão ou Romance de um Apache (A Rouge´s Romance), estrelado por Earle Williams e dirigido por James Young, e Pacto Astucioso (The Homebraker), estrelado por Dorothy Dalton e dirigido por Victor Shertzinger. Nesse último filme, sua atuação se reduziu a uma única cena. O ator Milton Sills assistiu às filmagens e resolveu ajudar o jovem italiano levando-o ao estúdio de Goldwyn e apresentando-o à estrela da ópera e dos filmes Geraldine Farrar. Os dois tentaram, em vão, conseguir-lhe uma oportunidade. 

Seu carisma, mais uma vez, exerceu influencia sobre uma famosa mulher, a atriz Dorothy Gish. Ela lutou para colocá-lo a seu lado com destaque em Negra Profecia (Out of Luck), de 1919, sob direção de Elmer Clifton.  O supervisor do filme era o grande David W. Griffith e, em sua honesta opinião, Valentino era "muito exoticamente estrangeiro para estrelar filmes americanos". Nessa fita ele teve uma pequena participação, mas, Griffith gostou de sua habilidade como dançarino e fez com que fosse contratado, ao lado de Carol Dempster, no prólogo encenado no palco do cinema de Sid Grauman, por ocasião do lançamento de um dos filmes do diretor. Grauman usou Rodolfo novamente na apresentação de um outro filme.


Em 1919

Mais papéis modestos viriam e Rodolfo gastou a maior parte de seu dinheiro comprando roupas elegantes e um extravagante Mercedes, procurando ser visto em todas as partes de Hollywood. Ainda em 1919 ele conheceu Pauline Frederick, fazendo funcionar novamente seu poder de sedução. Passou a frequentar suas famosas festas. E foi a própria Pauline quem o apresentou a Jean Acker, também artista de cinema.  Em 05 (algumas fontes 06) de novembro de 1919 casou-se com Jean, porém o casamento durou apenas seis horas, sem ter sido consumado. Ela havia tido uma romance com Alla Nazimova. Mesmo Jean gostando de mulheres, Valentino viu surgirem comentários maldosos de que seria impotente. 


Jean Acker, 1921.


Com uma carreira que parecia totalmente estagnada, fez o papel de vilão no filme O Esplêndido Amante (Stolen moments ou The Wonderful Love), de 1920, filmado em Nova Iorque e dirigido por James Vicent. Marguerite Namara era a estrela. 

Durante uma longa viagem ele leu o romance de Vicente Blasco Ibañez, Los Cuatro Junetes del Apocalipsis, e sonhou em interpretar o herói, Julio Desnoyers. O que ele não sabia é que, em Hollywood, a roteirista June Mathis estava justamente escrevendo uma adaptação cinematográfica do livro para a Metro, e tinha determinado que ele fosse o escolhido para o papel principal.


June Mathis


Rudy tinha acabado de completar seu segundo filme em Nova Iorque The Wonderful Chande, de 1929, com direção de George Archaimbaud, estrelado por Eugene O´Brien e Martha Mansfield, quando foi chamado ao escritório local da Metro. Lá, recebeu o script de Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse (The Four Horsemen of the Apocalypse), de 1921, e uma passagem de volta para Los Angeles.


Abaixo, cartazes e fotos promocionais do filme Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse, de 1921:










No filme, Valentino está confiante e teve a oportunidade de dançar um tango, numa sequência antológia, em parceria com Beatrice Dominguez, que faleceria nesse mesmo ano de 1921, aos 23 anos. A partir daí, ele tornou-se um astro. Mas, a Metro atribuiu o sucesso do filme mais à popularidade da estrela, Alice Terry e ao prestígio do diretor, Rex Ingram.



Rodolfo Valentino e Beatrice Dominguez

Beatrice Dominguez

Beatrice Dominguez


A antológica cena em que Valentino e Beatrice dançam o tango:







(O artigo continua, confiram as outras partes)


Parte 2: http://zip.net/bytjKs
Parte 3: http://zip.net/bctjhD
Parte 4 (final): http://zip.net/bxtkcw




Agradecimento à Donna Hill, criadora da homepage Falcon Lair - The Rudolph Valentino Homepage (http://www.rudolph-valentino.com). 


Fontes:
Revista Cinemin nº 26, 5ª Série, Agosto de 1986, artigo "A História de Rodolfo Valentino", de A. C. Gomes de Mattos. Pertencente ao Arquivo Marcelo Bonavides.



Beatrice Dominguez : 
http://www.allstarpics.net
http://www.imdb.com/name/nm0231510/


Jean Acker:
http://en.wikipedia.org/wiki/Jean_Acker
http://famosos.culturamix.com/atrizes/jean-acker


June Mathis:
http://www.filmreference.com/Writers-and-Production-Artists-Lo-Me/Mathis-June.html
http://en.wikipedia.org/wiki/File:June_Mathis_and_Rudolph_Valentino.jpg


Rodolfo Valentino:
http://didyoujustseewhatisaw.blogspot.com/2011/05/if-they-were-alive-today_06.html
http://silverscreenscribblings.wordpress.com/tag/rudolph-valentino/
http://rudolphvalentino.org/rudy.html
http://rudolph-valentino.blogspot.com/2010_10_01_archive.html
http://parasemprehollywoodastros.blogspot.com/2010/07/rodolfo-valentino.html
http://www.answers.com/topic/rudolph-valentino-large-image-1
http://www.art.com/products/p15381342-sa-i3712265/rudolph-valentino-c1920s.htm
http://www.allposters.com/-sp/Portrait-of-Sheik-Rudolph-Valentino-1921-Posters_i5097306_.htm
http://www.art.com/products/p15381342-sa-i3712265
/rudolph-valentino-c1920s.htm
http://thetarnishedangels.blogspot.com/2009_02_01_archive.html
http://www.flickr.com/photos/11136072@N00/204326354/in/photostream/


Os Quatro Cavaleiros do Apocalipse:
http://www.allposters.com.br/-sp/The-Four-Horsemen-of-the-Apocalypse-Alice-Terry-Rudolph-Valentino-1921-posters_i5131463_.htm
http://cultmovies.multiply.com/notes/item/86
http://www.pasiontango.net/pt/filme.aspx?id=os-quatro-cavaleiros-do-apocalipse


domingo, 21 de agosto de 2011

Semana RODOLFO VALENTINO


Em homenagem aos 85 anos de morte do grande astro Rodolfo Valentino, 
ocorrido no dia 23 de agosto de 1926, iremos dedicar a semana a relembrar e conhecer novos detalhes da vida, 
obra e homenagens recebidas pelo Great Lover do écran prateado. 

sábado, 20 de agosto de 2011

Cismando, 1929

Jesy Barbosa

Bela valsa de Rogério Guimarães, 
gravada em 18 de setembro de 1929, e lançada em dezembro desse mesmo ano.
Disco Victor 33.221-B, matriz 50050-4.
Jesy Barbosa e sua magistral voz recebem o acompanhamento da ótima 
Orchestra Victor Brasileira.


Cismando



Quero um dia nessa vida
No teu coração triunfar
E tua alma adormecida
Hei de ter, cheia de ternura, despertar
Um milagre se há de dar
Por eu muito te querer
Podes, pois, me desdenhar
Que meu desejo ainda há de te vencer
Tua alma embora emurchecida
Hás um dia há de reflorir
Vem dizê-la outra vez cheia de vida
Amorosa ressurgir
Oh, que gloria triunfal
Dominar esse teu coração
Eu alcançarei de ti, meu ideal
Com a força da paixão






Agradecimento ao Arquivo Nirez
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...