sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

RÁDIO DAS ESTRELAS: CARMEN MIRANDA

Agora o blog Estrelas Que Nunca Se Apagam tem mais uma novidade:
Rádio das Estrelas.


Estarei produzindo e apresentando programas sobre os mais variados assuntos e personagens, sempre ligados às minhas pesquisas, usando meu acervo e contando com a preciosa ajuda do Arquivo Nirez.


Para inaugurar a programação, trouxe Carmen Miranda para abrilhantar nosso broadcasting.










Atenção!
Essa é a quarta postagem de uma série sobre Carmen Miranda. Antes dela, postei um artigo falando do seu início de carreira, uma foto sua aos quatro anos, onde ela relembra fatos da infância, a foto de sua primeira aparição pública como cantora. Aqui, vocês conferem os links:

A OUTRA CARMEN MIRANDA: http://is.gd/Qao7kI
A INFÂNCIA DE CARMEN MIRANDA: http://is.gd/XEn4rN
UMA RARA FOTO DE CARMEN MIRANDA: http://is.gd/iKpUk2



Enquanto vocês escutam nossa programação, confiram fotos de Carmen Miranda 
e curiosidades sobre as músicas.


Músicas apresentadas:

1. O Meu Amor Tem, samba de André Filho gravado na Victor em 27 de fevereiro de 1930, exatamente um mês depois de Carmen ter gravado P´ra você gostar de mim, mais conhecida como Taí, que lhe garantiu o sucesso nacional. O acompanhamento desta gravação é feito por dois violões. 

2. De Oscar Cardona, que também era ator, e de Carlos Medina, Prá Judiar de Você,
Samba gravado em 04 de agosto de 1930. Lembrando que, nesse mesmo dia, o compositor Sinhô falecia.

3. Feitiço Gorado. O lado B desse disco traz justamente um samba de Sinhô, porém, gravado no dia 11 de agosto de 1930, poucos dias após o falecimento do Rei do Samba.

4. Não vai zangar, um belo samba-canção de João Martins que Carmen gravou em 14 de março de 1932, com acompanhamento da American Jazz.

5. O compositor e violonista Randoval Montenegro compunha belas músicas, que foram gravadas pelos melhores artistas do começo dos anos 30. Carmen nos traz a ótima composição Para um Samba de cadencia, que foi gravada em 01 de junho de 1932. O acompanhamento ficou a cargo do não menos talentoso Grupo do Canhoto. Como vocês poderão conferir, é uma verdadeira reunião de talentos em uma gravação.

6. Moleque convencido é um samba de Paulo Macdowell, gravado em 10 de abril de 1934, tinha o acompanhamento do conjunto Diabos do Céu, e a direção do mestre Pixinguinha.

7. Tempo Perdido. Samba gravado por Carmen Miranda em 02 de maio de 1933 e acompanhado pelos Diabos do Céu, com Pixinguinha na direção.
Esse samba, da autoria de Ataulfo Alves é tido por muitas pessoas como sua primeira música gravada. Porém, no dia 25 de abril desse mesmo ano, Almirante gravou Sexta Feira, da autoria de Ataulfo. Ele contava que Tempo Perdido serviu de apoio para sua carreira, embora não fosse um samba do estilo de Carmen. Quando ela faleceu, Ataulfo compôs um samba em sua homenagem intitulado Rainha do Samba.

O pesquisador Abel Cardoso Junior, em seu livro Carmen Miranda, a cantora do Brasil, conta uma história interessante.
Carmen e Ataulfo se conheciam antes de ambos virarem artistas. Ataulfo trabalhava em uma farmácia, onde fazia um xarope para dona Maria Emilia, mãe de Carmen. Geralmente, ela ia pegar o remédio. Carmen virou artista e Ataulfo não se deu conta que sua conhecida era agora uma cantora de sucesso. Quando ele foi levado à Victor, fez um bem sucedido teste, onde apresentava suas músicas a uma cantora que, era a própria Carmen. Ao final da audição, ocorreu esse interessante diálogo, Ataulfo saboreando a surpresa de Carmen:

- Mas você não é aquele rapaz da farmácia?
- Perfeitamente.
- Mas, você não era compositor.
- E você também não era cantora.


8. Cartão de Visita, samba de Floriano Ribeiro Pinho. Gravado em 30 de novembro de 1932. Como bem citou Abel Cardoso Junior, até um simples cartão de visita podia ser motivo para um belo samba. Confiram.

9. Carmen Miranda é considerada, com justiça, uma das nossas melhores sambistas. Vocês podem conferir isso nesse samba de Assis Valente, Sapateia no Chão, que ela gravou em 11 de dezembro de 1933, com acompanhamento do Grupo do Canhoto. Novamente, uma reunião de talentos que dispensa comentários.

10. Mais uma composição de Randoval Montenegro.
O curioso é que ela gravou essa música em 06 de agosto de 1930 e faleceu em 1955 no dia 05 de agosto. Esse samba, que também encerrou meu artigo A outra Carmen Miranda, trazia em seus versos um pedido que lhe seria atendido 25 anos depois, afinal, Carmen Miranda sempre afirmou: Eu gosto da minha terra.





Ouvindo cigarras humanas.
A jovem artista é entrevistada por R. Magalhães Junior,
na revista Vida Doméstica, em julho de 1930.


Fotografias originais de 1930, do Arquivo Nirez, mostrando a iniciante cantora que gravava na Victor:






Carmen Miranda ao lado de Nipper,
a mascote-símbolo da Victor.




Agradecimento ao Arquivo Nirez

13 comentários:

  1. É mais que delícia, tem sabor inconfundível!!!
    Minha mãe, vivia cantando Taí, e outras, que Carmem Miranda havia gravado. Lá em casa, se ouvia muito rádio...

    Muito bom!

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito, deu um tempero a mais ao blog, estava faltando isto, gostei da música: Para um Samba de cadencia e Sapateia no chão, achei divertido, a impressão que tive ao ouvir as músicas foi a sensação de ter voltado no tempo, me vi até de chapéu de palha como se usava, e diante de um rádio grande e sisudo bem antigo no RJ. É uma volta no tempo mesmo, gosto da música triste jandaia, pois já tem bastante tempo estive no RJ e fui ao Museu Carmem Miranda no Aterro do Flamengo (bairro) muito interessante e comprei um disco de vinil o qual tem esta música e gostei de cara.

    ResponderExcluir
  3. Ah e ainda tem outra, levei um susto com o tamanho do cachorro, achei que fosse de verdade, mas percebi que era apenas uma estátua do mascote da RCA Victor, aliás Carmem era de estatura bem baixinha, mas GRANDE NO TALENTO.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Obrigado a todos!
    Marcelo, Lúcia, Jean, valeu.
    Eu sempre estou pensando em maneiras de ir melhorando o blog. Vamos ter mais músicas na forma antiga e em programas.
    As postagens anteriores também falam de Carmen.
    Jean, Triste Jandaia é uma canção toada linda. Para um samba de cadencia é uma das minhas preferidas. Acho até que tenho esse disco.
    Deixo meu e-mail para que possamos trocar mais idéias: bonavides75@gmail.com.

    Abraço a todos!

    ResponderExcluir
  5. Sim Bonavides ok, aliás têm um rapaz já falecido infelizmente, ele é quem mais se parecia com a Carmem Miranda, se chamava Erick Barreto (se não me engano), ele ia muito no Show de calouros do Silvio Santos, a irmã de Carmem Aurora Miranda, disse em uma entrevista que ele era a reencarnação de sua irmã, tamanha a semelhança, o qual se transformava nos shows que fazia, no youtube tem o vídeo dele, um show de talento.

    ResponderExcluir
  6. Lembro bem do Erik! Excelente artista!
    Eu cheguei a assistir suas apresentações no Sílvio Santos, no Show de Calouros. Lembro que, quando ele ganhou, todos os outros calouros vieram ao palco parabenizá-lo.
    Muito bacana!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, Marcelo
    Que maravilha!! Quantas informações resgatando o que há de molhor em nossa cultura. É um privilégio ter você na blogsfera.
    P.s: O meu sonho é ter um rádio desses da foto, na minha casa, vc acredita? Adoro coisas antigas!
    Um abraço
    Dani

    ResponderExcluir
  8. Erick Barreto morreu??? Nossa, não sabia...

    ResponderExcluir
  9. Tudo que se refere a Carmen Miranda me interesa! Sou fã de carteirinha dela, mesmo nem em sonho ter vivido na época em que ela era estrela absoluta. Ela era e sempre será um dos nossos maiores orgulhos dourados.

    ResponderExcluir
  10. Perfeito,meu caro: parabéns pela iniciativa e pela excelente qualidade desta rádio incrível: eu a "sintonizarei" sempre! E posso dizer que este carnaval passei ao lado da diva Carmen Miranda: como foi bom rememorar estes clássicos... Meu abraço e apareça, hein?!

    ResponderExcluir
  11. Marcelo,
    Descobri seu excelente blog por acaso e adorei.
    Assim como você eu também pesquiso a música brasileira objetivando a divulgação dos artistas que muito contribuíram com a nossa MPB e que, de certa forma, não são valorizados, bem como a divulgação dos novos talentos.
    Outro ponto em comum é que pesquiso, com três parceiros, a temática do Teatro de Revista.
    Pelo visto temos uma boa perspectiva de intercâmbio, não é mesmo?
    Abraços.
    Laura Macedo.

    ResponderExcluir
  12. Puxa, Laura, que bom saber de suas pesquisas.
    Há 23 anos que eu pesquiso a MPB e as atrizes cantoras de nossa música e nosso teatro musicado, no período de 1859 a 1940, colecionando gravações originais desde 1902.
    Vamos trocar idéias.
    Meu e-mail é bonavides75@gmail.com
    Obrigado e abraços,
    Marcelo

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...