sexta-feira, 2 de novembro de 2012

JOÃO PERNAMBUCO, 129 anos

João Pernambuco em 1926.

Há 129 anos nascia o músico, compositor e violonista brasileiro João Pernambuco.

João Teixeira Guimarães nasceu em Jatobá (atual Petrolândia), em Pernambuco, no dia 02 de novembro de 1883.
Era filho de uma índia caeté e de um português. Em 1891, seu pai faleceu e sua mãe se casou novamente, levando a família para Recife.

Por influência dos cantadores e violeiros locais, começou a tocar violão ainda na infância.

Em 1902, foi morar no Rio de Janeiro com uma irmã e passou a trabalhar em uma fundição. No Rio, fez amizade com violonistas populares, na mesma época em que trabalhava como ferreiro, fazendo jornadas diárias de até dezesseis horas. Muito popular, o número de amigos e admiradores só crescia, e a eles João ia contando e cantando as histórias de sua terra. Daí, veio o apelido Pernambuco.

No tempo em que trabalhava como ferreiro.
A sete indica João Pernambuco. 1904 ou 1905.

Em 1908, ele já era considerado um dos bambas do choro, ao lado de amigos importantes como os compositores Quincas Laranjeiras, Ernani Figueiredo, Zé Cavaquinho e Satyro Bilhar.

Da esquerda para a direita João Pernambuco e Quincas Laranjeiras.
Sentado: Augustín Barrios, na loja O Cavaquinho de Ouro,
Rio de Janeiro, 1916/1917.

João Pernambuco compunha músicas de inspiração nordestina, baseadas em cantigas e temas folclóricos.

Em 1911 compôs seu maior sucesso, uma melodia que se tornaria um verdadeiro clássico de nossa MPB, relembrado até hoje: Luar do Sertão. Após criar a música, Catullo da Paixão Cearense fez os belos versos. Pixinguinha, décadas depois, afirmaria que ouvira João Pernambuco tocar Luar do Sertão bem antes de Catullo escrever a famosa letra. João e Catullo se apresentavam nas casas da alta classe carioca.

Cantava muito bem, ao mesmo tempo em que compunha valsas, jongos, maxixes, emboladas, choros...

Foi amigo de Donga e Pixinguinha, quando esse último ainda era adolescente.
João Pernambuco participou dos grupos Turunas Pernambucanos, Grupo Caxangá e do célebre
Os Oito Batutas.

Primeira formação do Grupo Caxangá, 1917/1918.
Da esquerda para a direita, sentados: 
João Pernambuco (Guajurema), com um violão caipira; 
Raul Palmieri (secretário)  e Caninha (Mané Riachão).

Entre os percursores do violão, o célebre trio pioneiro é formado por Quincas Laranjeiras, João Pernambuco, Levino Albano da Conceição.

Durante um período, nos anos 20 e 30, vários músicos como Donga, Pixinguinha, Patrício Teixeira, Rogério Guimarães, e às vezes, Villa-Lobos, faziam animadas rodas de choro na casa de João Pernambuco.
Foi lá que Levino o apresentou ao jovem violonista Dilermando Reis.

Primeira apresentação do Grupo Os Oito Batutas.
São Paulo, outubro de 1918.

Villa-Lobos, a respeito da importância da obra violonística de João Pernambuco, afirmaria que "Bach não se envergonharia em assinar os estudos como sendo seu", tal sua densidade e profundidade.

João Pernambuco faleceu no Rio de Janeiro em 16 de outubro de 1947, aos 63 anos.


As fotos dessa postagem foram tiradas do excelente site http://www.joaopernambuco.com.

Algumas gravações de João Pernambuco ao violão.


João Pernambuco, 1918.
Ao fundo, uma imagem pintada do Corcovado.



Mimoso
Maxixe da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Rogério Guimarães (violão).
Disco Odeon Record 123.070
Gravado e lançado em 1926.




Lágrimas
Maxixe da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Rogério Guimarães (violão).
Disco Odeon Record 123.071
Gravado e lançado em 1926.




Pó de Mico
Choro da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.174-B, matriz 380596
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.




Suspiro Apaixonado
Valsa da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.174-B, matriz 380597
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.




Magoada
Choro da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.175-B, matriz 380598-2
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.




Rosa Carioca
Foxtrot da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.176-B, matriz 380599-2
Gravado em janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.




Sentindo
Tango da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.178-B, matriz 380576
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.




Dengoso
Choro da autoria de João Pernambuco
Interpretado por João Pernambuco (violão), com o acompanhamento de Zezinho (violão)
Disco Columbia 5.178-B, matriz 380577
Gravado em 27 de janeiro de 1930 e lançado em março de 1930.











Agradecimento ao Arquivo Nirez


Fontes:
Gravações - Arquivo Nirez (arquivonirez.com.br)
Biografia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Jo%C3%A3o_Pernambuco
Fotos - http://www.joaopernambuco.com











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...