segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

ALZIRINHA CAMARGO, 97 anos



Há 97 anos nascia a cantora e atriz Alzirinha Camargo. 

Alzira de Camargo nasceu em São Paulo, no bairro do Brás, em 10 de dezembro de 1915.
Foi criada por seus padrinhos em Itapetininga (SP), onde se formou professora da Escola Normal.

Não chegou a lecionar, pois, o rádio a encantou. 
Com 17 anos, em 13 de junho de 1933, estreou na Rádio Record de São Paulo.

Após firmar carreira em algumas rádios paulistanas, Alzirinha foi levada por Silvia Autuori (conhecida por Tia Chiquinha) para o Rio de Janeiro, em novembro de 1935. Lá, apresentou-se na Rádio Cruzeiro do Sul, fazendo logo sucesso.

Jovem, bonita e talentosa, Alzirinha logo seria convidada a participar do cinema, estreando em Fazendo Fita (1935), comédia musical dirigida por Vittorio Capellaro. 

Em 1936, gravou seu primeiro disco na Victor com as músicas: Cinquenta por Cento (50%), marcha de Lamartine Babo; e Você vai se arrepender, samba de Germando Augusto, Kid Pepe e Alberto Fabel.
Nesse mesmo ano, foi contratada para cantar em uma cadeia de cassinos espalhada por todo o país.

Apareceu vibrante no filme Alô, Alô Carnaval (1936), com direção de Adhemar Gonzaga. 
Em 1937, Raul Roulien a dirigiu em O Grito da Mocidade.
Em 1954 apareceria no filme português Agora é que são elas, dirigido por José César de Sá e Fernando Garcia.

Quando excursionou em Buenos Aires, em 1936, Benedito Lacerda compôs para ela a marcha Meu Buenos Aires Querido e, com Herivelto Martins, o samba Ritmo do Coração. Os argentinos adoraram.

Com sucesso nas rádios, cassinos e discos, Alzirinha Camargo partiu para os EUA em 1940, quase a mesma época que Carmen Miranda. Ficou até 1949, apresentando-se ao lado do esposo, o maestro peruano Ciro Rimac.

Entre 1950 a 1953, percorreu a Espanha e Portugal, apresentando-se no Cassino Estoril.
Regressou ao Brasil em novembro de 1953, sendo contratada pela Rádio Nacional para fazer o programa Gente que brilha, de Paulo Roberto.

Nos anos seguintes, ela atuaria ocasionalmente em rádios e televisão, e também gravaria algumas músicas na Polydor.

Em 1964, abandonou a vida artística e tornou-se funcionária pública do INSS, no Rio de Janeiro. 
Quando se aposentou foi morar em Santos (SP), onde faleceu em 09 de dezembro de 1982, um dia antes de seu 67º aniversário.




Curiosidades:
Em 1936, Alzirinha Camargo media 1,65 e pesava 50 quilos.
Seus cantores preferidos, em 1976 eram: Carmen Miranda, Francisco Alves, Elis Regina e Roberto Carlos.





Agradecimentos à Thais Matarazzo e ao Arquivo Nirez

2 comentários:

  1. Só você mesmo, Marcelo para nos trazer tão preciosa informação!

    ResponderExcluir
  2. Alzirinha Camargo foi minha tia-avó! obrigada pelo artigo!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...