terça-feira, 11 de dezembro de 2012

NOEL, por ele mesmo



Há 102 anos, no dia 11 de dezembro de 1910, nascia o compositor Noel Rosa, no Rio de Janeiro.
Considerado um dos gênios de nossa música, Noel faleceu em 1937, vítima de tuberculose, com apenas 26 anos de idade.
Deixou uma vasta obra que seria sempre lembrada por intérpretes como Aracy de Almeida e Marília Batista.
Noel Rosa também foi cantor. Divulgava suas músicas cantando nas rádios ou gravando discos.
Vamos conferir alguns registros de sua voz.


Por causa da hora
Samba de Noel Rosa
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 33.488-A, matriz 65252-1
Gravado em 10 de outubro de 1931, lançado em novembro de 1931.




- A senhorita adiantou o seu relógio?

Meu bem, veja quanto sou sincero
No poste sempre eu espero,
Procuro bonde por bonde
E você nunca que vem.
Olho, ninguém me responde,
Chamo, não vejo ninguém...

Talvez seja por causa dos relógios,
Que estão adiantados uma hora,
Que eu triste vou-me embora
Sempre a pensar por que
Não encontro mais você.

Terei que dar um beiço adiantado
Com o adiantamento de uma hora.
Como vou pagar agora
Tudo o que comprei a prazo
Se ando com um mês de atraso?

Eu que sempre dormi durante o dia
Ganhei mais uma hora pra descanso
Agradeço ao avanço
De uma hora no ponteiro.
Viva o dia brasileiro!


Nunca jamais
Samba de Noel Rosa
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 33.488-B, matriz 65251-2
Gravado em 10 de outubro de 1931, lançado em novembro de 1931.




Meu bem, não me faças sofrer
Tu queres ter liberdade demais.
Os homens tu conquistas um por um,
sem amar a nenhum...
Não, não pode ser, nunca... jamais...
Em tempo algum!

Qualquer dia morro de um acesso
Só por ver o teu processo
de iludir os coronéis.
Qualquer dia eu perco a paciência,
digo incoveniência
e depois te meto os pés
(E vou pagar vinte mil réis!)

Deste a todo mundo a tua mão
E teu pobre coração
mais parece uma estalagem
Para salvação o que desejo
é mandar fazer despejo
pra poder descer bagagem.
(Mas é preciso ter coragem!)

Nada de ti posso aproveitar
Nada tens para me dar
Nem tens nota pra pintura
Todo mundo sabe que és pobre
Não herdastes sangue nobre
E abusaste da feiúra
(Pra quem é pobre a lei é dura!)


Felicidade
Samba canção de Noel Rosa e René Bittencourt
Acompanhamento do Grupo Columbia
Disco Columbia 22.083-B, matriz 381159
Lançado em fevereiro de 1932.




Felicidade! Feicidade!
Minha amizade
foi-se embora com você
Se ela vier
e te trouxer
Que bom, felicidade, que vai ser!

Trago no peito
o sinal duma saudade
Cicatriz de uma saudade
que tão cedo vi morrer
Eu fico triste
quando vejo alguém contente
Tenho inveja desta gente
que não sabe o que é sofrer

O meu destino
foi traçado no baralho
Não fui feito pra trabalho
Eu nasci pra batucar
Eis o motivo
que do meu viver agora
a alegria foi-se embora
pra tristeza vir morar


Onde está a honestidade?
Samba de Noel Rosa
Acompanhamento de sua Turma da Vila
Disco Odeon 10.989-A, matriz 4604
Gravado em 15 de março de 1933, lançado em abril de 1933.




Você tem palacete reluzente
Tem jóias e criados a vontade
Sem ter nenhuma herança nem parente
Só anda de automóvel na cidade...

E o povo já pergunta com maldade:
"Onde está a honestidade?
Onde está a honestidade?"

O seu dinheiro nasce de repente
E embora não se saiba se é verdade
Você acha nas ruas diariamente
Anéis, dinheiro e até felicidade...

Vassoura dos salões da sociedade
Que varre o que encontrar em sua frente
Promove festivais de caridade
Em nome de qualquer defunto ausente...


Arranjei um fraseado
Samba de Noel Rosa
Acompanhamento de sua Turma da Vila
Disco Odeon 10.989-B, matriz 4605
Gravado em 15 de março de 1933, lançado em abril de 1933.




Arranjei um fraseado
Que já trago decorado
Pra quando lhe encontrar:
"Como é que você se chama?
Quando é que você me ama?
Onde é que vamos morar?"

Como eu vou indagar
Quando é que eu posso lhe encontrar
Pra conseguir combinar
onde é o lugar
em que você quer morar?

Como vou saber ao certo
quando é que você vem ficar perto
e quem já designou
onde é o lugar
do nosso lindo château?

Como é que você se chama?
Quando é que você me ama?
Onde é que vou lhe falar?
Como é que você não diz
Quando é que me faz feliz
Onde é que vamos morar?


Positivismo
Samba de Noel Rosa e Orestes Barbosa
Acompanhamento de Pixinguinha e sua Orquestra
Disco Columbia 22.240-B, matriz 381530
Lançado em setembro de 1933.




A verdade, meu amor, mora num poço
É Pilatos, lá na Bíblia, quem nos diz
E também faleceu por ter pescoço
O autor da gulhotina de Paris.

Vai, orgulhosa, querida
Mas aceita esta lição
No câmbio incerto da vida
A libra sempre é o coração

O amor vem por princípio, a ordem por base
O progresso é que deve virpor fim
Desprezaste esta lei de Augusto Comte
E fostes ser feliz longe de mim.

Vai, coração que não vibra
Com teu juro exorbitante
Transformar mais outra libra
Em dívida flutuante.







Agradecimento ao Arquivo Nirez

Foto de Noel Rosa: http://musica.uol.com.br/album/retrospectiva-2010-adoniran-e-noel_album.jhtm#fotoNav=2






2 comentários:

  1. Parabéns pelo belo blog,você está resgatando a melhor época da música brasileira !!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...