sábado, 30 de junho de 2012

LINDA BATISTA canta RISQUE

Um amor terminado, nome riscado do caderno de endereços, ela "novos caminhos, em busca de outros carinhos"...
Risque, foi composta por Ary Barroso e gravada originalmente por Aurora Miranda, no começo de 1952, logo após ela voltar dos EUA.
Em 28 de novembro de 1952, Linda Batista gravou sua versão, em disco RCA Victor 80-1080-B, matriz SB-093559, e acompanhada por Conjunto, o disco foi lançado em março de 1953.
Linda aproveitou o sucesso e, sempre simpática, pousou para a seção Canção Fotografada da Revista do Rádio, em matéria de Yolandino Maia e Wilson Lopes.















Risque meu nome do seu caderno
Pois não suporto o inferno
do nosso amor fracassado
Deixe que eu siga novos caminhos
em busca de outros carinhos
matemos nosso passado.
Mas, se algum dia, talvez
a saudade apertar
Não se perturbe
afogue a saudade
nos copos de um bar
Creia toda a quimera se esfuma
como a brancura da espuma
que se desmancha na areia.




Agradecimento ao Arquivo Nirez

LINDA BATISTA em um QUESTIONÁRIO INDISCRETO

Na segunda quinzena de dezembro do ano de 1953, surgiu a revista Radiolândia. Assim como a Revista do Rádio, ela trazia reportagens sobre os grandes nomes de nossa radiofonia e belas fotos.
A jornalista Silvia Donato fez uma série de perguntas à Linda Batista na seção Questionário Indiscreto.
Transcrevo aqui a matéria.




QUESTIONÁRIO INDISCRETO
Por Silvia Donato


LINDA BATISTA, a Lindóia, como é mais conhecida, é uma das cantoras mais alegres do Brasil inteiro. O bom humor chegou até ela e fez ponto final, como poderão ver por suas respostas:


- Sua idade?
Deixa de besteira, Silvia, deixa de besteira.


- Em que posição dorme?
Do lado direito, toda espalhada... (aqui ela deu uma gargalhada Lindoiana).


- Acorda pensando em pisar antes com o pé direito?
Sempre levanto com o pé direito.


- Canta no banheiro?
Não, só canto na área e quando é preciso.


- Quando o sabão escorrega da mão, fica zangada?
Nem dou bola.


- E quando a água não vem, em quem pensa votar nas próximas eleições?
Em mim mesma. Faria cada batefundo...


- Quantos amores únicos já teve na vida?
Dois. Um quando adolescente e outro é o de agora.


- Sente dificuldade em ser fiel?
Nenhuma, nem há tempo para outra coisa...


Que acha da poligamia?
Neris.


- Prefere os magros ou os nutridos?
Tenho que torcer para o meu lado. Prefiro os nutridos.


- Acredita no amor à primeira vista?
Não. Para existir amor é preciso convivência.


- E no amor eterno?
Acredito na comunhão de duas almas, só assim o amor pode tornar-se eterno.


- Qual o santo de sua devoção?
Nossa Senhora Aparecida.



- Vai aos Capuchinhos para tirar o peso?
Fui uma vez e não reglou. Nunca mais voltei.


- Acha que despacho resolve os problemas de amor?
Não entendo disso.


- Acredita em num casamento por conveniência o amor possa vir depois?
Essa pergunta é meio... coisa e tal...


- Entre o Whisky e a cachaça, qual prefere?
Prefiro Whisky. Apesar de ser cachaça fantasiada de estrangeiro.


- Que acha da água mineral, do leite e da água de bica?
Não vem a dar no mesmo? Água é sempre água, quando há...


- Na sua opinião, algum número dá azar?
Não, nenhum. Adoro o 13. Só invoco é com espelho quebrado.


- Que tipo de cigarro prefere?
Lucky Strike.


- Aceita um de maconha para provar?
Nem sonhando... eu hein?...


- Lê o Gibi? E o X-(?
Adoro ler o X-9, pois, enquanto procuro o responsável pelas mortes, o sono vem depressa.


- Já viajou num trem de subúrbio? Gostou?
Já. Emagreci dois quilos nessa viagem. Nunca mais... (aproveitem a receita).


- Quando está num elevador e a Light desliga o circuito, tem vontade de fazer alguma coisa? O que?
Tenho vontade de sair voando e dizer umas boas ao responsável pela coisa.


- Qual é o número de seus sapatos?
34. Dou preferência aos pretos e fechados.


- A cinturinha, como anda?
71, minha velha... 71...


- Se estiver fazendo dieta e aparecer uma boa feijoada, que fará?
Nunca fiz dieta e nem me preocupo com isso... eu não sou bailarina.


- Qual foi seu primeiro namorado?
Foi lá na Rua Correia Dutra. Ele agora está casado... Silvia, por favor, vamos mudar de assunto...


- E o último?
Um paulista. Já dura quatro anos.


- Já jogou bola de gude?
Não, só peteca.


- Que jogo prefere?
Roleta, apesar da proibição.


- Qual seu perfume predileto?
"Fleurs de Rocailles" (Flores de Rocha).














Agradecimento ao Arquivo Nirez

LINDA BATISTA canta LUPICÍNIO RODRIGUES




Lupicínio Rodrigues deixou uma bonita e vasta obra que foi gravada pelos maiores cantores de seu tempo, imortalizando-as.
Em Linda Batista o compositor encontrou não só uma boa cantora, mas, uma excelente intérprete, que ao cantar parecia estar contando suas dores.
Assim, Linda registrou algumas músicas de Lupicínio, deixando todas bem gravadas em nossa memória afetiva.
Ainda hoje, todas mexem com a gente.


VINGANÇA




Belo e dramático samba canção que já chegou arrebatando a atenção e os corações de quem o ouvia. Linda Batista a interpretou como ninguém, com sua voz marcante. O pesquisador Ricardo Cravo Albin afirma que o sucesso foi tanto que várias pessoas, ao se suicidarem, o faziam ouvindo Vingança; fora as que choravam suas dores de cotovelos nos bares ou sozinhas em suas casas.

O acompanhamento foi feito por conjunto. Disco RCA Victor 80-0802-A, matriz S-092961. Foi gravado em 29 de maio de 1951 e lançado em agosto.

Abaixo você confere dois vídeos de Linda Batista cantando Vingança. O primeiro de 1976 e o segundo, de 1983:





Eu gostei tanto
Tanto, quando me contaram
Que lhe encontraram
chorando e bebendo
na mesa de um bar
E que quando 
os amigos do peito
por mim perguntaram
Um soluço cortou sua voz
não lhe deixou falar

Ai, mas, eu gostei tanto
Tanto, quando me contaram
Que tive mesmo
que fazer esforço
pra ninguém notar

O remorso talvez seja a causa
do seu desespero
Você deve estar bem consciente 
do que praticou
Ai, me fazer passar essa vergonha
com um companheiro
E a vergonha
é a herança maior
que meu pai me deixou
Mas, enquanto houver força
em meu peito
eu não quero mais nada
Só vingança
Vingança, vingança
aos Santos clamar
Você há de rolar como as pedras
que rolam na estrada
sem ter nunca um cantinho de seu
pra poder descansar.



DONA DIVERGÊNCIA

Samba canção em parceria com Felisberto Martins.
Era o lado B de Vingança.
Disco RCA Victor 80-0802-B, matriz S-092962
Gravado em 29 de maio de 1951 e lançado em agosto.

Linda Batista cantando Dona Divergência em 1976:




Oh, Deus
Se Tens poderes sobre a terra
deves dar fim a esta guerra
e os desgostos que ela traz
Derrame a harmonia sobre os lares
Ponha tudo em seus lugares
com o balsamo da paz
Deves encher de flores o caminhos
mais canto entre os passarinhos
Na vida, maior prazer.
E assim, a humanidade
seria mais forte
Ainda teria outra sorte
Outra vontade de viver

Não vá com o teu julgar
que a guerra que estou falando
é onde estão se encontrando
tanques, fuzis e canhões
Refiro-me à grande luta
em que a humanidade
em busca da felicidade
combate pior que leões.
Aonde a Dona Divergência
com o seu archote
espalha os raios da morte
a destruir os casais
E eu combatente atingido
sou qual um país vencido
que não se organiza mais.







MIGALHAS


Samba canção em parceria com Felisberto Martins
Gravado em 03 de julho de 1950 e lançado em setembro.
Disco RCA Victor 80-0689-A, matriz S-092701
Acompanhamento de Regional


Quando amanheço
sem pão e sem trabalho
vendo no meu agasalho
os remendos de outra cor
Nervosa, sento na ponta da mesa
quase a morrer de tristeza
a pensar no teu amor
Eu, ao teu lado,
tive fartura e carinho
cantei qual um passarinho
nos galhos do paraíso
Tive na vida um eterno sorriso
infelizmente não quis
Para tornar-te perdido
e eu uma infeliz.


Às vezes no auge da aflição
lembro de tua casa
não pra pedir-te perdão
Pois não é justo
que eu queira ser perdoada
sabendo ser a culpada
de toda a nossa questão
solidão
quase me leva a loucura
de procurar a fartura
que eu deixei no teu lar
Mas a chorar,
vejo na minha tristeza
que não mereço as migalhas
que caem da tua mesa.





FOI ASSIM



Samba canção gravado em 20 de fevereiro de 1952 e lançado em abril
Disco RCA Victor 80-0881-A, matriz S-093193
Acompanhamento de Fafa Lemos e seu Conjunto

Foi assim
eu tinha alguém 
que comigo morava
Mas tinha um defeito
que brigava
às vezes com razão
ou sem razão
Mas, depois
encontrei uma pessoa diferente
que me tratava carinhosamente
Dizendo resolver toda a questão
Mas, não...
E depois
deixei a criatura que eu morava
por essa criatura que eu julgava
que fosse compreender todo o meu eu
Mas no fim
fiquei na mesma coisa em que estava
por que a criatura que eu sonhava
não foi aquilo que me prometeu


Será que é meu destino?
Será que é meu azar?
Mas tenho que viver brigando
Todos no mundo encontram seu par
Por que só eu vivo trocando?
Se deixo de alguém
por falta de carinho
por brigas
ou outras coisas mais
Quem aparece no meu caminho
tem os defeitos iguais.







VOLTA


Samba canção gravado em 28 de março de 1957 e lançado em junho.
Disco RCA Victor 80-1800-A, matriz 13-H2PB-0081
Acompanhamento de Orquestra

Quantas noites não durmo
a rolar-me na cama
A sentir tantas coisas
que a gente não pode explicar
quando ama
O calor das cobertas
não me aquece direito
Não há nada no mundo
que possa afastar
este frio em meu peito

Volta
vem viver outra vez ao meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
pois meu corpo está acostumado



CALÚNIA


Samba canção em parceria com Rubens Santos
Gravado em 22 de agosto de 1958 e lançado em novembro.
Disco RCA Victor 80-2002-A, matriz 13-J2PB-0477
Acompanhamento de Orquestra

Você me acusa
mas não prova o que diz
Você me acusa
de um mal que não fiz
A calúnia é um crime
que Deus não perdoa
você vai sofrer
Aqui neste mundo
quem planta o mal
Mal só pode colher
Eu não quero vingança
Vingança é pecado
Eu não quero pecar
Só a justiça Divina
pode seu crime julgar






















Agradecimento ao Arquivo Nirez






quinta-feira, 28 de junho de 2012

LINDA BATISTA e seus Eternos Sucessos I



Linda Batista atravessou décadas marcando nossa música com seu estilo e talento inconfundíveis e brindando a todos com vários sucessos. Músicas que são cantadas, regravadas e, parecem, que sempre existiram em nossa lembrança.
Sua beleza também foi motivo de admiração, aliada a uma simpatia e carisma únicos. A imprensa usava e abusava de sua imagem, inclusive em comerciais de cosméticos.
Vou expor aqui um pouco do que saía sobre ela em revistas, jornais, ao som de seus sucessos.





Amélia na Praça Onze
Acompanhando o sucesso do samba Ai que saudades da Amélia, de Ataulfo Alves e Mário Lago, os compositores Herivelto Martins e Cícero Nunes criaram Amélia na Praça Onze. A musa que despertava saudades por ser a mulher ideal, agora, transformava-se em um personagem de nossa música. 


Disco Victor 34.921-B, matriz S-052484
Gravado em 27 de fevereiro de 1942 e lançado em maio.







Bom Dia
Uma das mais lembradas músicas do repertório romântico de Dalva de Oliveira. Esse samba, da autoria de Herivelto Martins e Aldo Cabral, foi gravado originalmente e lançado por Linda Batista em 1942, onde foi acompanhada pelas Três Marias, conjunto vocal do qual fazia parte a cantora e compositora Marília Batista.
Bom dia é uma linda música que fala de fim de romance com versos bem inteligentes.

Teve o acompanhamento de Passos e sua Orquestra.
Disco Victor 34.962-A, matriz S-052569
Gravado em 02 de julho de 1942 e lançado em setembro.




História de Adão e Eva
Marcha de Nelson Teixeira e Antônio Barreto
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 34.710-A, matriz 52083
Gravado em 17 de dezembro de 1940 e lançado em fevereiro de 1942




Dança mas não encosta
Samba de Roberto Roberti e Edgard Freitas
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.710-B, matriz 52084-2
Gravado em 17 de dezembro de 1940 e lançado em fevereiro de 1942




Não fico em casa
Batucada de Zé Pretinho e Gonçalves Dias
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.725-A, matriz 52110
Gravado em 11 de janeiro de 1941 e lançado em fevereiro




Eu não
Samba de Max Bulhões e Henrique de Almeida
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.725-B, matriz 52111
Gravado em 11 de janeiro de 1941 e lançado em fevereiro




A Vida é isso
Ótima música. Uma crônica da vida de vários casais.
Choro de Chiquinho Sales
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.939-A, matriz S-052513
Gravado em 11 de maio de 1942 e lançado em julho




Salve a batucada
Samba de Chiquinho Sales, Buci Moreira e Carlos de Souza
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.939-B, matriz S-052514
Gravado em 11 de maio de 1942 e lançado em julho




A porta estandarte
Samba de Herivelto Martins
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0032-A, matriz S-052638
Gravado em 16 de outubro de 1942 e lançado em dezembro




Nossa separação
Samba de Heitor dos Prazeres e Herivelto Martins
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0032-B, matriz S-052639
Gravado em 16 de outubro de 1942 e lançado em dezembro




Um minuto somente
Samba de Pedro Caetano e Claudionor Cruz
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0192-A, matriz S-052958-1
Gravado em 09 de maio de 1944 e lançado em julho




Sinuca de bico
Samba de Pedro Caetano e Norberto Martins
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0192-B, matriz S-052959-1
Gravado em 09 de maio de 1944 e lançado em julho




Casa de Cômodos
Samba de Buci Moreira e Carlos de Souza
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0196-A, matriz S-052964-1
Gravado em 18 de maio de 1944 e lançado em agosto






Terra de Ioiô
Samba de Russo do Pandeiro e Ari Monteiro
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0196-B, matriz S-052965-1
Gravado em 18 de maio de 1944 e lançado em agosto




Baile na roça
Valsa de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0288-B, matriz S-078167-1
Gravado em 30 de abril de 1945 e lançado em julho




Boa pessoa
Samba de Carneiro Filho e Alberto Maia
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0315-B, matriz S-078199-1
Gravado em 18 de junho de 1945 e lançado em setembro




Batuque no terreiro
Samba de Mário Lago e Erasmo Silva
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0428-B, matriz S-078516-1
Gravado em 09 de maio de 1946 e lançado em agosto




Amizade leal
Choro de Alberto Maia e Carlos Rego Barros de Souza
Acompanhamento de Benedito Lacerda e seu Regional
Disco Victor 80-0445-A, matriz S-078547-1
Gravado em 19 de junho de 1946 e lançado em setembro


















Agradecimento ao Arquivo Nirez






quarta-feira, 27 de junho de 2012

LINDA BATISTA, A Estrela do Brasil II

RAINHA DO RÁDIO

Em 12 de setembro 1936, foi inaugurada a Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Sua estréia foi concorrida, contando com os maiores nomes de nossa música, seja popular ou clássica. Nos meses seguintes, iria contratar vários outros artistas de peso, Linda Batista entre eles.
Em 1937, a emissora deu início a um concurso onde os ouvintes elegeriam a 
Rainha do Rádio.
Coube à Linda Batista ser eleita a primeira Rainha do Rádio. 








Em 1941:








1948: Após onze anos consecutivos como Rainha do Rádio,
Linda Batista passa a coroa e o cetro para sua irmã, Dircinha Batista
(esq.).







SUCESSOS de uma Estrela:

Ao longo de sua carreira, Linda Batista foi colecionando sucessos em suas gravações. Como ela mesmo diria, sempre que gravava um disco separava logo duas cópias pra si, pois as vendas eram tantas que logo tudo se acabava.


Com seu colega Orlando Silva, na Rádio Nacional,
final dos anos 30.

Passei na Ponte
Marcha conga de Ary Barroso
Acompanhamento da Orquestra de Louis Cole do Cassino Atlântico
Disco Victor 34.678-A, matriz 52009-1
Gravado em 25 de setembro de 1940 e lançado em novembro.




Renda Nova
Samba de Gomes Filho e Juraci de Araújo
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 34.678-B, matriz 52021-1
Gravado em 25 de setembro de 1940 e lançado em novembro.







Carnaval de 1940. Da esquerda para a direita:
esse rapaz me parece ser Nelson Gonçalves, Dircinha e Linda Batista
e essa moça parece ser Odete, irmã das cantoras.


SUCESSOS NO CARNAVAL:

BATUQUE NO MORRO



Da autoria de Russo do Pandeiro e Sá Róris, esse samba fez bastante sucesso no carnaval de 1942. Linda Batista foi acompanhada pelo célebre conjunto Diabos do Céu, em disco Victor 34.814-B, matriz S-052328. A gravação aconteceu no dia 13 de agosto de 1941 e o disco foi lançado em outubro desse mesmo ano.
No filme Road to Rio (1947), dirigido por Normand Z. McLeod, com Dorothy Lamour, Bing Crosby e Bob Hope, Batuque no Morro é interpretado pelos The Carioca Boys (Zé Carioca, Nestor Amaral, Russo do Pandeiro e Russinho)  e, também, por Bing Crosby e Bob Hope, numa clara alusão à Carmen Miranda.



LINDA BATISTA GRAVOU A MARCHINHA DO PINTOR

Revista Carioca, dezembro de 1941.






Para o carnaval de 1941, Linda Batista gravou a Marchinha do Pintor. Da autoria de Antônio Nássara e Roberto Martins, era uma música fácil de decorar, divertida, que fazia a alegria nos dias de reinado de Momo.

O pintor que pintou Maria
Também pintou Isabel
Mas, quando foi pintar Tereza,
meu bem,
não encontrou pincel

Pintor quando pinta
precisa de tinta,
modelo, papel e pincel
Depois é que ele arranja inspiração
faz uma coisa qualquer
ganha um prêmio no Salão



Marchinha do Pintor
Marcha de Antônio Nássara e Roberto Martins
Acompanhamento de Luís Americano e seu Regional
Disco Victor 34.860-A, matriz S-052417
Gravado em 12 de novembro de 1941 e lançado em janeiro de 1942








Carnavais de Linda Batista




Anos 40

Sei lá se vou 
Marcha
De Ubirajara Nesdan e Ari Monteiro
Disco Victor 80-0154-B, matriz S-052891-1
Acompanhamento de Benedito Lacerda e seu Conjunto
Gravado em 25 de novembro 43, lançado em janeiro de 1944




Clube dos Barrigudos
Marcha de Haroldo Lobo e Cristóvão de Alencar
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 80-0144-B, matriz S-052873-1
Gravado em 19 de outubro de 1943, lançado em dezembro




Escocesa
Marcha de Haroldo Lobo e Cristóvão de Alencar
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 80-0129-B, matriz S-052835-1
Gravado em 15 de setembro de1943 e lançado em novembro




Coitado do Edgard
Samba de Benedito Lacerda e Haroldo Lobo
Acompanhamento de Regional
Disco Victor 80-0248-A, matriz S-078084-1
Gravado em 06 de novembro de 1944 e lançado em fevereiro de 1945




Cordão dos Magricelas
Marcha de Ciro de Sousa e Cristóvão de Alencar
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 80-0249-B, matriz S-078087-1
Gravado em 08 de novembro de 1944 e lançado em janeiro de 1945




No boteco do José
Marcha de Wilson Batista e Augusto Garcez
Acompanhamento de Benedito Lacerda e seu Regional
Disco Victor 80-0348-A, matriz S-078294-2
Gravado em 21 de setembro de 1945, lançado em novembro




Criado com Vó
Frevo canção de José mariano Barbosa (Marambá)
Acompanhamento de Zaccarias e sua Orquestra
Disco Victor 80-0354-A, matriz S-078304-1
Gravado em 02 de outubro de 1945, lançado em dezembro de 1945




Seu Cornélio
Marcha de Marino Pinto e Eratóstenes Frazão
Acompanhamento de Orquestra
Disco Victor 80-0377-A, matriz S-078393-1
Gravado em 22 de novembro de 1945, lançado em janeiro de 1946




Enlouqueci
Samba de Luís Soberano, Valdomiro Pereira e João Vale
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0559-A, matriz S-078798-1
Gravado em 16 de outubro de 1947, lançado em dezembro




Entregue o apito Vavá
Samba de Carlos Patriolino, Haroldo Lobo e David Nasser
Acompanhamento de Conjunto
Disco RCA Victor 80-0571-B, matriz S-078819-1
Gravado em 21 de novembro de 1947 e lançado em janeiro de 1948





Anos 50:




General da Banda
Batucada de Sátiro de Melo, Tancredo Silva e José Alcides
Acompanhamento de Regional Disco RCA Victor 80-0632-A, matriz S-078957
Gravado em 18 de outubro de 1949 e lançado em janeiro de 1950




Nega maluca
Samba de Evaldo Rui e Fernando Lobo
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0631-B, matriz S-078958
Gravado em 20 de outubro de 1949, lançado em janeiro de 1950




Madalena
Samba de Ari Macedo e Aírton Amorim
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0713-A, matriz S-092753
Gravado em 14 de setembro de 1950 e lançado em novembro




Levou fermento
Samba de Monsueto Menezes e José Batista
Acompanhado de Orquestra e Coro
Disco RCA Victor 80-1690-B, matriz BE6-VB-1286
Gravado em 30 de agosto de 1956, lançado em novembro.




Vai que é mole
Marcha de Haroldo Lobo e Milton de Oliveira
Acompanhamento de Orquestra e Coro
Disco RCA Victor 80-2151-A, matriz 13-K2PB-0788
Gravado em 28 de setembro de 1959 e lançado em janeiro de 1960





Cantado por Linda Batista no filme Entrei de Gaiato (1959) , direção de J. B. Tanko, da Atlântida.
Ela é apresentada por Grande Othelo.










Fontes:
Arquivo Nirez
Arquivo Marcelo Bonavides
Youtube.com: http://is.gd/GadXtx






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...