quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

VICENTE CUNHA

Hoje, trago para vocês mais um pernambucano de talento.
Trata-se do cantor Vicente Cunha.
O texto a seguir foi publicado pela revista Phono-Arte em 1930.


Vicente Cunha. Foto Hessi e Cherri, São Paulo.


Vicente Cunha

O excelelente tenor pernambucano que se dá a conhecer este mez aos phonophilos atravez alguns discos Victor e Columbia. – A primeira vez que cantou em público, foi em Recife, sua terra natal, numa exhibição de “Jurity”, opereta sertaneja de Viriato Correia. Em seguida, cantou em “Berenice”, opereta pernambucana de Waldemar de Oliveira e libreto de Nelson Paixão, cujo successo revolucionou Recife. É associado do Gremio Familiar Magdalense, sociedade que na capital de Pernambuco se destina a grupar artistas amadors e cultivar a arte musical em geral, levando também a scena operetas de estudo regional. – Vicente Cunha, que poderemos chamar de “cantor da alma pernambucana”, gravou uma série de canções de autores de sua terra, todos elles nomes populares e de reconhecido mérito como sejam os irmãos Valença (João e Raul), Waldemar de Oliveira, Samuel Campello, Sergio Sobrera, Amelia Brandão Nery, Raul C. Moraes, Umberto Santiago, Dr. Alfredo Gama e outros. – Vicente Cunha depois de gravar alguns discos para a Victor, assignou um contracto de exclusividade de dous annos, com a Columbia, que conta assim, em seu catalogo nacional, com mais um precioso elemento.



Ouça Vicente Cunha

Viola de Pinho
Canção de João Valença e Humberto Santiago
Acompanhamento da Orquestra Victor Paulista
Disco Victor 33.316-A, matriz 50360-2
Gravação de 03 de julho de 1930, lançado em agosto de 1930.

 


Ai Que Viola
Batuque de João Valença e Humberto Santiago
Acompanhamento de violões e coro
Disco Victor 33.317-A, matriz 50357-2
Gravação de 03 de julho de 1930, lançado em agosto de 1930.



Boiadeiro do Norte

Toada de João Valença e Humberto Santiago
Acompanhamento de violões e coro
Disco Victor 33.317-B, matriz 50362-1
Gravação de 04 de julho de 1930, lançado em agosto de 1930.











Agradecimento ao Arquivo Nirez











2 comentários:

  1. Vicente Cunha era tio do meu pai, irmão de Isabel da Cunha Oliveira, minha avó.
    Tive a oportunidade de ouvi-lo cantar entre os familiares e também na Rádio Clube de Pernambuco. Na nossa casa havia um disco com a música Mal-me-quer, gravado per ele na gravadora Rosemblit.Ele era tio do tenor Elias Reis e Silva,filho do primeiro casamento de vovó, que nessa época usava o sobrenome do primeiro marido, Isabel Reis.Dessa veia artística, a geração atual da família tem como representante o barítono alagoano Felipe Correia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite,também sou sobrinho neto e afilhado de Vicente Cunha e lembro-me muito bem dele cantando Mal-me quer; uma voz ESPETACULAR....

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...