quarta-feira, 20 de março de 2013

ERNESTO NAZARETH, 150 ANOS



Há 150 anos nascia o pianista e compositor ERNESTO NAZARETH.

Assim como Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth foi de uma importância fundamental para a formação de nossa música. Foi considerado um dos grandes nomes do Tango Brasileiro, gênero hoje visto como uma vertente do choro. Sua obra, quase toda voltada ao piano, muitas vezes retrataram o ambiente das serestas e choros. Mozart de Araújo escreveria sobre ele:  "As características da música nacional foram de tal forma fixadas por ele e de tal modo ele se identificou com o jeito brasileiro de sentir a música, que a sua obra, perdendo embora a sua funcionalidade coreográfica imediata, se revalorizou, transformando-se hoje no mais rico repositório de fórmulas e constâncias rítmico-melódicas, jamais devidas, em qualquer tempo, a qualquer compositor de sua categoria".

Trago em sua homenagem 42 músicas em gravações originais. Algumas interpretadas por ele, porém, a maior parte por músicos ou orquestras contemporâneas dele.
Sua vida e obra são riquíssimas e vocês podem conferir em um excelente site dedicado em sua homenagem: http://www.ernestonazareth150anos.com.br


Antes das músicas, uma curiosidade muito interessante.
Em janeiro de 1929, Ernesto Nazareth participava de um evento beneficente realizado pelo deputado baiano Anníbal Duarte no Instituto Nacional de Música do Rio de Janeiro. Entre os artistas que cantaram várias músicas regionais estava um grupo de amadoras (mocinhas que eram alunas de canto do compositor Josué de Barros). Entre elas, as futuras cantoras Carmen e Aurora Miranda. Na ocasião, Carmen estava prestes a completar 20 anos e ainda era completamente desconhecida. Esta era a sua primeira aparição perante a um público que não era sua família ou amigos. Ela ensaiava os primeiros passos como cantora. Aurora, então com 13 anos, nem sonhava em cantar, apenas acompanhava sua irmã. Na foto, publicada em fevereiro desse ano na revista O Violão, e embora com várias pessoas conhecidas, só aparece o nome do homenageado Ernesto Nazareth. O de Carmen e Aurora, por serem desconhecidas, nem sequer foram mencionados.



A legenda da foto traz (na grafia e pontuação da época): "Grupo tirado no Instituto Nacional de Musica por occasiçao do recital de musicas regionaes ali realisado por um grupo de rapazes e senhoritas de nossa melhor sociedade. Entre elles, no centro, vê-se a figura sympathica do rei do tango, o grande pianista Ernesto Nazareth que num gesto de requintada gentileza tomou parte no recital".




As MÚSICAS  



Vamos ouvir 42 músicas da autoria de Ernesto Nazareth. Algumas interpretadas por ele e outras por orquestras ou cantadas. Catullo da Paixão Cearense deu letra em várias melodias de sua autoria.
Como curiosidade, trago duas interpretações feitas por Ernesto Nazareth da obra de outros compositores.


Interpretadas por Ernesto Nazareth

Favorito
Tango de Ernesto Nazareth
Interpretado por Pedro de Alcântara no flautim
e Ernesto Nazareth ao piano
Disco Odeon Record 108.790, matriz XR-1463
Lançado em 1912



ODEON
Tango de Ernesto Nazareth
Interpretado por Pedro de Alcântara na flauta
e Ernesto Nazareth ao piano
Disco Odeon Record 108.791, matriz XR-1464
Lançado em 1913



Apanhei-te Cavaquinho
Choro de Ernesto Nazareth
Interpretado pelo autor, ao piano
Disco Odeon 10.718-A, matriz 3941
Gravado em 10 de setembro de 1930
e lançado em dezembro desse ano



Escovado
Tango brasileiro de Ernesto Nazareth
Interpretado pelo autor, ao piano
Disco Odeon 10.718-B, matriz 3939
Gravado em 10 de setembro de 1930
e lançado em dezembro desse ano



Turuna
Tango de Ernesto Nazareth
Interpretado pelo autor, ao piano
Disco Odeon, matriz 3942
Gravado em 10 de setembro de 1930
e lançado em dezembro desse ano



Nenê
Tango de Ernesto Nazareth
Interpretado pelo autor, ao piano
Disco Odeon, matriz 3940
Gravado em 10 de setembro de 1930
e lançado em dezembro desse ano




Músicas de outros compositores interpretadas por Ernesto Nazareth


Choro e Poesia
Polca de Pedro de Alcântara
Interpretada pelo autor, ao flautim,
e Ernesto Nazareth ao piano
Disco Odeon Record 108.788, matriz XR-1461
Lançado em 1912



Linguagem do Coração
Polca de Joaquim Antônio da Silva Callado
Interpretada por Pedro de Alcântara, ao flautim,
e Ernesto Nazareth, ao piano
Disco Odeon Record108.789, matriz XR-1462
Lançado em 1913





Músicas de Ernesto Nazareth por vários intérpretes


Escovado
Tango interpretado pela Banda da Casa Edison
Disco Odeon Record 40.436
Lançado em 1905



Brejeiro
Tango interpretado pela Banda da Casa Edison
Disco Odeon Record 40.572
Lançado em 1905




Favorito
Tango interpretado pelo maestro Arthur Camilo ao piano
Disco Odeon Record 40.728
Lançado em 1906



Escovado
Tango interpretado pelo maestro Arthur Camilo ao piano
Disco Odeon Record 40.730
Lançado em 1906




Dengoso
Tango interpretado pela Banda da Casa Faulhaber & Cia.
Disco Favorite Record 1-452.175, matriz 11480-O
Gravado em 21 de maio de 1911 e lançado nesse mesmo ano




Dengoso
Tango interpretado pela Banda Columbia
Disco Columbia Record B-165, matriz 12041
Lançado em 1912

 



Bambino
Tango interpretado pelo Grupo dos Sustenidos
Disco Odeon Record 120.144, matriz XR-1687
Lançado em 1912




Zizinha
Tango interpretado pelo maestro Arthur Camilo ao piano
Disco Odeon Record 120.319, matriz XR-1890
Lançado em março de 1913
 



Ameno Rezedá
Polca interpretada pelo Grupo do Louro
Disco Odeon Record 120.828
Gravado em 1913 e lançado em 1914



Apanhei-te Cavaquinho
Polca interpretada pelo Grupo O Passos no Choro
Disco Odeon Record 121.136
Lançado em 1916




Apanhei-te Cavaquinho
Polca interpretada pela Orquestra Odeon
Disco Odeon Record 121.153
Lançado em 1916




Escorregando
Maxixe interpretado pelo Jazz Band Sul-Americano Romeu Silva
Disco Odeon Record 122.843
Lançado em 1925




Paulicéia, como és Formosa
Tango brasileiro interpretado pela Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.033-A, matriz 1277
Lançado em setembro de 1927



Magnífico
Tango brasileiro interpretado pela Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.048-A, matriz 1365
Lançado em novembro de 1927




Proeminente
Maxixe interpretado pela Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.087-A, matriz 1370-I
Lançado em dezembro de 1927




Plangente
Tango brasileiro interpretado pela Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.137-A, matriz 1520
Lançado em março de 1928




Feitiço Não Mata
Cançoneta interpretada pela Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.137-B, matriz 1521
Lançado em março de 1928




Saudades e Saudades
Marcha interpretada pela Jazz Band Sinfônica Pan American
Disco Odeon 10.161-B, matriz 1611
Gravado em 16 de março de 1928 e lançado em abril desse ano




Sutil
Tango brasileiro interpretado pela Jazz Band Sinfônica Pan American
Disco Odeon 10.178-A, matriz 1613
Gravado em 16 de março de 1928 e lançado em maio desse ano

 



Turbilhão de Beijos
Tango brasileiro interpretado pela Jazz Band Sinfônica Pan American
Disco Odeon 10.178-B, matriz 1613
Gravado em 16 de março de 1928 e lançado em maio desse ano

 



Ipanema
Marcha interpretada pela Orquestra Pan American

Disco Odeon 10.162-B, matriz 1717
Lançado em junho de 1928



Primorosa
Valsa brasileira interpretada pela Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.230-B, matriz 1768
Lançado em agosto de 1928

 



Floraux
Maxixe interpretado pela Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.231-B, matriz 1849
Lançado em 1929

 



Rayon D´Or
Polca gravada pela Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.250-B, matriz 1878
Gravado em 10 de agosto de 1928 e lançado em setembro desse ano





Músicas de Ernesto Nazareth cantadas



Sacco do Alferes 
(sobre a melodia de Favorito)
Dueto por Senhorita Consuelo e Bahiano
Disco Zon-O-Phone X-689
Gravado em 1903




Cidade Nova e Sacco do Alferes 
(sobre a melodia de Favorito)
Em parceria com Bahiano (Manuel Pedro dos Santos)
Dueto por Júlia Martins e Bahiano
Disco Odeon Record 120.438
Lançado em 1913




O Sertanejo Enamorado
(sobre a melodia de Brejeiro)
Canção em parceria com Catullo da Paixão Cearense
Gravado por Mário Pinheiro acompanhado de piano
Disco Odeon Record 40.227, matriz RX-219
Lançado em 1905

 


Você Não Me Dá
(melodia de Bambino)
Tango em parceria com Catullo da Paixão Cearense
Gravado por Mário Pinheiro
Disco Columbia Record 11.550
Lançado em 1904




Favorito
Tango em parceria com Catullo da Paixão Cearense
Gravado por Mário Pinheiro, acompanhado de piano
Disco Odeon Record 108.336
Gravado em 1910




A Voz do Amor
(sobre a melodia de Cuiubinha)
Tango brasileiro em parceria com Marina Stella e S. dos Santos
Gravado por Francisco Alves e a Orquestra Rio Artists
Disco Odeon 10.192-A, matriz 1669
Lançado em 1928



Êxtase (parte 1)
Romanza gravada por Vicente Celestino
Disco Odeon 10.195-A, matriz 1584
Gravado e lançado em 1928




Êxtase (parte 2)
Romanza gravada por Vicente Celestino
Disco Odeon 10.195-B, matriz 1585
Gravado e lançado em 1928




Favorito
Tango brasileiro gravado por Francisco Alves
Disco Odeon 10.518-A, matriz 3068
Lançado em dezembro de 1929




Apanhei-te Cavaquinho
Choro em parceria com Darci de Oliveira e Benedito Lacerda
Gravado por Ademilde Fonseca, Benedito Lacerda e Seu Conjunto
Disco Columbia 55.432-A, matriz 630-2-M
Gravado em 20 de abril de 1943 e lançado em maio desse ano









Agradecimento ao Arquivo Nirez
e a Alexandre Dias

Foto de Ernesto Nazareth e Carmen Miranda: Arquivo Nirez
Demais fotos de Ernesto Nazareth: site João do Rio (Acervo de Luiz Antônio de Almeida)








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...