sábado, 16 de março de 2013

HENRIQUE ALVES DE MESQUITA - 183 anos!


Há 183 anos nascia o compositor, regente, organista, trompetista e professor HENRIQUE ALVES DE MESQUITA.


Henrique Alves de Mesquita nasceu em em 15 de março de 1830, em uma modesta casa na Ladeira do Castelo, ladeira que dava acesso ao topo do Morro do Castelo, no Centro do Rio de Janeiro (morro que abrigava edificações do tempo da fundação da cidade e que foi demolido completamente).

A ele atribui-se a origem da expressão Tango Brasileiro, quando classificou dessa forma sua composição Olhos Matadores, de 1868, que foi editada em 1871.
Designava-se o nome Tango (não confundir com o argentino) à músicas de teatro ligeiro que, até então, os espanhóis e franceses chamavam de Habanera.
Com o tempo o Tango Brasileiro (que nada tem haver com o argentino) reunia elementos da habanera, polca e lundu. Muitas vezes o termo tango brasileiro seria usado para mascarar lundus e maxixes, que sofriam o preconceito de serem música popular.

O maestro Henrique Alves de Mesquita iniciou seus estudos com o compositor e violoncelista Desidério Dorison. Em 1847, ele apresentou (junto com seu mestre) uma fantasia para trompete em um recital.
Entre seus professores estava o maestro Gianni, do Conservatório de Música, onde obteve medalha de ouro. Ele foi o primeiro aluno a receber o prêmio que consistia em uma viagem à Europa para aperfeiçoamento dos estudos.

No Rio de Janeiro, Henrique Alves de Mesquita integrou por algum tempo (como trompetista) a orquestra do célebre Alcazar Lyrique.
A partir de 1869, passou a exercer a função de regente da orquestra do Theatro Phoenix Dramática. Aí, apresentou várias operetas e composições de sucesso.

Em 1872 foi nomeado professor de solfejo e princípio de harmonia do Conservatório de Música

Era amigo pessoal da maestrina e compositora Chiquinha Gonzaga e do músico e funcionário público Alfredo Vianna, pai de Pixinguinha.

Aposentou-se em fevereiro de 1904 no já então Instituto Nacional de Música, efetivado (desde 1890) como professor de instrumentos de metal.

Sua produção foi grande e de muita importância para nossa música.

Henrique Alves de Mesquita faleceu no Rio de Janeiro, em 12 de julho de 1906.


Em 1910, a Banda do Corpo de Bombeiros gravou Batuque, um tango característico de Henrique Alves de Mesquita. Será que essa designação no selo do disco não encobria o verdadeiro ritmo, um batuque?
Disco Victor Record 99.716.





Cem anos depois, em 2010, Danilo Brito apresentou uma versão de Batuque, em São Paulo, no SESC.




Ali Babá - Gravação de 1981.




Abertura de Uma Noite no Castelo (Une Nuit Au Chateau)



Partitura de Une Nuit Au Chateau













--------------------------------------------------------------------

Algumas citações ao maestro Henrique Alves de Mesquita na imprensa:
Pontuação e grafia originais.


DIARIO DO RIO DE JANEIRO
Sabbado, 24 de Outubro de 1863
"O Vagabundo - Canta-se hoje, pela primeira vez no theatro Lyrico esta opera do distincto compositor nacional Henrique Alves de Mesquita. É o seu primeiro trabalho para a scena. Sabemos por pessoas competentes que tem assistido aos ensaios que, além de um notavel cunho de novidade, nota-se no Vagabundo não só conhecimento profundo das regras de composição como uma inspiração original e vigorosa!
O Sr. Mesquita é um bello talento amadurecido pelo estudo.
A sua obra será, por certo, recebida com aquella sympathia e admiração que o autor deve esperar de seus patrícios, sobretudo estando ausente".



BAZAR VOLANTE
Rio, 07 de Outubro de 1866
"O nosso distincto compositor Henrique Alves de Mesquita acaba de publicar, sob o titulo La Brésilienne, uma linda polka brilhante, que é mais uma flor para o seu livro de composições.
Essa polka acha-se á venda no estabelecimento musical dos Srs. Meirelles & Comp., á Praça da Constituição. (Sesostris)"


---------------------------------------------------------

Em 1999, o maestro Henrique Alves de Mesquita foi interpretado pelo ator Milton Gonçalves na minissérie Chiquinha Gonzaga, da autoria de Lauro César Muniz e Marcílio Moraes.







Fontes:
Arquivo Nirez
http://www.dicionariompb.com.br
http://hemerotecadigital.bn.br
http://revista.brasil-europa.eu





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...