quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

MÁRIO REIS interpreta SINHÔ

Mário Reis


Um de nossos grandes intérpretes foi o carioca Mário da Silveira Reis, mais conhecido por MÁRIO REIS.

Nascido em 31 de dezembro de 1907, Mário chegou a cursar direito na mesma turma que Ary Barroso.
Em meados dos anos 20, passou a ter aulas de violão com o compositor Sinhô, que gostando de sua voz e forma de interpretar as canções levou o jovem para gravar seu primeiro disco, com as músicas O Que Vale a Nota Sem o Carinho da Mulher? e Carinhos de Vovô.
Realmente, Mário Reis cantava diferente. Não possuía o vozeirão predominante nos cantores de seu tempo, ao contrário, tinha uma voz calma e suave. O surgimento da gravação elétrica proporcionou um início bem sucedido no disco. Sua voz poderia ser ouvida tal e qual ele havia cantado no estúdio.
Seu estilo agradou o público e seus discos vendiam bastante.
Seu primeiro grande sucesso foi o samba Jura, de Sinhô, que ao lado da gravação de Aracy Côrtes, obteve recordes de vendas.

O sucesso de Mário Reis começou a chamar a atenção dos outros grandes cantores. Francisco Alves, já considerado o de mais prestígio, teve uma feliz ideia: os dois poderiam gravar juntos.
Chico, com seu vozeirão, e Mário, com sua voz suave. Deu certo!
Ao todo foram vinte e quatro gravações, onde as vozes se casam perfeitamente, de forma harmônica e bela.

Porém, hoje, eu venho apresentar as gravações que Mário Reis registrou na Odeon de autoria de Sinhô. Ele regravaria algumas nos anos cinquenta.
As que eu trago foram feitas entre 1928 e 1930.



Sinhô


Que Vale a Nota Sem o Carinha da Mulher?
Samba
Acompanhamento de dois violões
Disco Odeon 10.224-A, matriz 1741-I
Lançado em agosto de 1928




Carinhos de Vovô
Romance
Acompanhamento de dois violões
Disco Odeon 10.224-B, matriz 1740
Lançado em agosto de 1928




Sabiá
Canção
Acompanhamento de dois violões
Disco Odeon 10.257-A, matriz 1935
Lançado em outubro de 1928




Deus nos Livre do Castigo das Mulheres
Samba
Acompanhamento de dois violões
Disco Odeon 10.257-B, matriz 1936
Lançado em outubro de 1928




Jura
Samba
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.278-A, matriz 2070
Lançado em novembro de 1928




Gosto que me Enrosco
Samba
Acompanhamento de dois violões
Disco Odeon 10.278-B, matriz 2003
Lançado em novembro de 1928




Carga de Burro
Samba
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.387-B, matriz 2518
Lançado em maio de 1929




A Medida do Senhor do Bonfim
Samba
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.459-A, matriz 2814-1
Lançado em agosto de 1929




Cansei
Samba canção
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.459-B, matriz 2813
Lançado em agosto de 1929




Já é Demais
Samba canção
Acompanhamento da Orquestra Pan American, 
sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 10.614-B, matriz 3540-1
Lançado em junho de 1930










Agradecimento ao Arquivo Nirez











2 comentários:

  1. Para quem só conhecia a regravação de "JURA" feita pelo Zeca Pagodinho, gostei de ouvir, de conhecer o Mário Reis. Por falar em Zeca, o cantor lançou cd recentemente de músicas que ele disse ter curtido na infância. Enfim, vou ouvir as outras canções. Ney Alexandre

    ResponderExcluir
  2. Uma beleza de homenagem a Sinho e Mário.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...