sábado, 22 de novembro de 2014

FRANCISCO ALVES E O CENTRO ARTÍSTICO REGIONAL, 1929

Uma das grandes satisfações em pesquisar é ser surpreendido por fotos inéditas, registros que não esperávamos encontrar.

A maioria das fotos de nosso blog Estrelas que Nunca se Apagam vem de minhas pesquisas no Arquivo Nirez, aqui em Fortaleza.

Em uma dessas pesquisas encontrei, na revista O Violão, de Janeiro de 1929, as seguintes fotos referente a um evento do Centro Artístico Regional do Rio de Janeiro. Na segunda fotografia estão quatro rapazes com seus violões, embora a legenda apresente três professores do centro. O segundo da esquerda para a direita é ninguém menos que o cantor, compositor e violonista Francisco Alves, o rei da Voz. Em seguida, ao seu lado, está o compositor e também violonista Rogério Guimarães. Como a legenda da foto não apresenta maiores detalhes, supomos que Francisco Alves, mesmo já famoso em 1929, dava aulas no Centro. Ou, então, foi tocar como artista convidado... Quem sabe. Não consegui identificar os dois rapazes das extremidades.

Alguém conhece?
Abraços!



O grupo completo dos artistas que fazem parte do Centro.



Da esquerda para a direita: rapaz não identificado, Francisco Alves, Rogério Guimarães
e rapaz não identificado, 1929.






terça-feira, 18 de novembro de 2014

CÉLIA ZENATTI E ISMAEL SILVA VISITAM CARMEN MIRANDA - 1954


Boletim da SBACEM, maio de 1955.
Arquivo Nirez.


Em 1954, Carmen Miranda retornou ao Brasil, após uma ausência de quatorze anos. Ela vinha se recuperar de uma forte depressão, porém, a imprensa a poupava, não revelando o real motivo de sua visita. Diziam que ela veio matar a saudade de sua terra, o que não era mentira.

No início de sua estadia, Carmen ficou reclusa, em tratamento, só recebendo visitas de suas irmãs e mãe. Porém, quando melhorou, passou a rever seus antigos e saudosos amigos, numa avalanche de emoções e boas recordações. Foi assim que a atriz Célia Zenatti e o compositor Ismael Silva encontraram Carmen no Copacabana Palace.

Célia era viúva do cantor Francisco Alves e foi atriz de destaque durante os anos 20 e começo dos anos 30. Ela e Chico mantinham amizade com Carmen.  Ismael Silva era compositor consagrado um dos responsáveis pela inovação do samba, no final dos anos 20. Dele, Carmen Miranda gravou a marchinha Assim, Sim (1932), que teve parceria de Noel Rosa e Francisco Alves.




Boletim da SBACEM, maio de 1955.
Arquivo Nirez.






FRANCISCO ALVES, SÓCIO BENEMÉRITO DA SBACEM - 1950

Arquivo Nirez



A Sociedade Brasileira de Autores, Compositores e Editores de Música (SBACEM) concedeu o diploma de sócio benemérito ao cantor Francisco Alves em 1950, por ocasião do terceiro aniversário da sociedade. O documento foi entregue ao cantor pelo músico e compositor Benedito lacerda, presidente da SBACEM, na presença de várias autoridades.
A homenagem a Francisco Alves aconteceu devido à grande contribuição do artista à causa do direito autoral e progresso dessa sociedade.



Arquivo Nirez

MAIOR É DEUS
Samba de Felisberto Martins e Fernando Martins
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento de Raul e Seu Ritmo
Disco Odeon 12.908-B, matriz 8459
Gravado em 29 de novembro de 1948 e lançado em janeiro de 1949




CARLOS GALHARDO

Arquivo Nirez



JARARACA

Arquivo Nirez








domingo, 16 de novembro de 2014

CALÇADOS FOX, 1931

Revista O Cruzeiro, 30 de maio de 1931.



Nas sapatarias de luxo peça as incomparáveis formas 10 e 21 do afamado calçado FOX 
- O Melhor do Mundo - 






terça-feira, 11 de novembro de 2014

PROCÓPIO FERREIRA INTERPRETA GORCK, 1934

Procópio Ferreira.
Revista A Noite Illustrada, 1934.
Arquivo Nirez.


"Procópio num dos typos mais curiosos da sua galeria de composições: o protagonista de Quick, a comedia de Felix Gandera, inspirada na vida de Gorck, o maior clown do mundo".

Revista A Noite Illustrada, agosto de 1934.









domingo, 9 de novembro de 2014

CHARGE DE 1924

Revista da Semana, 1924.



Pedido de Casamento


Ela - Talvez seja melhor voltares outro dia, Alberto. 
Parece que papae não está hoje de muito bom humor.





PROPAGANDAS DE 1924

Trago alguns anúncios exibidos da Revista da Semana em 1924.















terça-feira, 4 de novembro de 2014

NOZINHO E CÂNDIDO DAS NEVES

O dia 04 de novembro marca duas datas importantes. Há 127 anos, nascia o cantor e locutor Nozinho, um dos pioneiros da Casa Edison. Também, há 80 anos, falecia o compositor e violonista Cândido das Neves.




NOZINHO










Nascido Carlos Vasques em Macau (RN), no dia 04 de novembro de 1887. Era filho de Jerônimo de Carvalho Vasques e Tereza de Jesus Vasques. Com dez anos passou a morar no Rio de Janeiro. Em meados da década de 1900 passou a gravar discos na Casa Edison com o nome de Nozinho, registrando várias peças cômicas e românticas. Também foi locutor dessa gravadora, anunciando o nome da música, intérprete e empresa (Casa Edison). Também fez gravações na Favorite Record e na Columbia Record. Em 1917 passou a trabalhar somente como Oficial de Justiça, cargo em que se aposentou. Era casado com Irene Vasques e pai de Carlos Vasques Júnior. Faleceu no Rio de Janeiro em 20 de março de 1962.

Gravações de Nozinho

EM NOITES DE SERESTA
Modinha
Disco Odeon Record 10.207
Lançado provavelmente em 1909




NOITE SONOROSA
Modinha
Disco Odeon Record 108.138
Lançado em 1910




RECORDAÇÕES
Modinha de motivo popular
Disco Favorite Record 1-455.008, matriz 11151-O
Gravada em 08 de maio de 1911 e lançada nesse mesmo ano






CÂNDIDO DAS NEVES










Cândido das Neves era filho do grande cantor, compositor e palhaço Eduardo das Neves.
Nasceu no Rio de Janeiro em 24 de julho de 1899.
Com cinco anos de idade se interessou pelo violão.
Em 1922, estreou como cantor, gravando um disco.
Porém, seria como compositor que ele se destacaria, produzindo alguma das mais belas canções de nossa música. Se destacou no repertório romântico, mas, produziu boas marchas e sambas.
Também conhecido como Índio, ou Índio das Neves, ainda deu aulas de leitura e escrita musical.
Faleceu no Rio de Janeiro em 04 de novembro de 1934.



Composições de Cândido das Neves

TUDO ACABADO
Tango canção
Gravado por J. Gomes Jr.
Disco Odeon Record 123.263, matriz 1087
Lançado em 1926




NÊNIAS
Tango canção
Gravada por Vicente Celestino
Acompanhamento da Orquestra Rádio Central
Disco Odeon 10.336-B, matriz 2280
Lançado em março de 1929




RASGUEI O TEU RETRATO
Tango canção 
Gravado por Vicente Celestino
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira, sob a direção de Pixinguinha
Disco Odeon Record 33.969-B, matriz 79976-1
Gravado em 12 de julho de 1935, lançado em setembro










Fontes:
Arquivo Nirez
Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira





segunda-feira, 3 de novembro de 2014

AMBIENTES MODERNOS EM 1943

Ambiente moderno para "living", com todos os elementos do estilo, mas com decorações orientais.


A revista O Cruzeiro trazia em sua edição de 24 de abril de 1943 várias fotos com decorações modernas para casa.

Obs. Legendas copiadas na íntegra.



"A decoração moderna é algo muito dificil de se conseguir integralmente. O que se vê por aí, geralmente, é uma contrafação. Reunimos alguns ambientes perfeitos."

Sala de jantar em "decapé". Com cores fortes (verde e laranja).



Recanto de "living" neo-classico, que é uma variante muito usada.


Sala de estar, em madeira lustrada e "decapé", com camurça e casemira (sic) nas poltronas.



Recanto de apartamento, com um bar elegante e biblioteca embutida. Cortina de chintz.










sábado, 1 de novembro de 2014

CONCHITA MONTENEGRO, 1931

Conchita Montenegro.
Revista A Noite Illustrada, 1931.
Arquivo Nirez.


"O donaire da mulher hespanhola, celebrado no romance e na chronica desde tempos anciãos como expressão peculiar da raça, tem espelho no fino espeirto e na silhueta harmoniosa de Conchita Montenegro - cuja attitude reproduzida é uma illustração deslumbrante da formosura e da graça das mulheres de Hespanha".

Revista A Noite Illustrada, 04 de fevereiro de 1931.
Arquivo Nirez.








Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...