sábado, 4 de julho de 2015

O VATAPÁ - MAXIXE DE 1909

http://metropole.rac.com.br/


O vatapá é um dos mais tradicionais pratos da culinária brasileira. Com ascendência africana, ele também é usado em cerimônias religiosas, como oferenda, e figura entre os quitutes mais desejados de nosso país. Pode ser feito com camarão, peixe, frango, ou o que a imaginação sugerir. Você pode antar a receita de um vatapá baiano no site do chef Lauro Lucchesi: http://zip.net/bwrxp7


A Música

A ideia desse post veio de uma famosa música do começo do século XX, chamada O Vatapá.
Era comum lançarem músicas com títulos de comidas e, até, frutas. A culinária brasileira era cantada de forma extrovertida e maliciosa, como no caso d´O Vatapá, que fazia parte da revista (peça de teatro de revista) O Maxixe, estreada em 31 de março de 1906, que tinha entre as estrelas Machado Careca e Maria Lino. Caberia à Maria Lino lançar nessa peça o famoso lundu Vem Cá, Mulata.
O autor de O Vatapá é o maestro Paulino Sacramento e a música só começou a ser gravada em 1909, continuando as gravações no ano seguinte. Foi gravada pela Banda do Corpo de Bombeiros, Banda do 52º de Caçadores, por Pepa Delgado e Mário Pinheiro, Geraldo Magalhães e Medina de Sousa, Albertina Rosa e Orestes Mattos e pelos famosos cançonetistas gaúchos Os Geraldos (Nina Teixeira e Geraldo Magalhães).


Os Geraldos
(Nina Teixeira e Geraldo Magalhães)



Medina de Sousa e Geraldo Magalhães





Pepa Delgado e Mário Pinheiro




A letra, além de dar dicas para a receita, é levemente apimentada como um bom vatapá deve ser.


O VATAPÁ, de Paulino Sacramento


Banda do Corpo de Bombeiros
Disco Odeon Record 108.033, Matriz XR-566
Lançado em 1909


Os Geraldos
Disco Odeon Record 108.338, matriz XR-900
Lançado em 1909


Medina de Sousa e Geraldo Magalhães
Disco Victor Record 98.453
Lançado em 1909


Albertina Rosa e Orestes de Mattos
Disco Brazil Record 70.219
Lançado em 1910


Pepa Delgado e Mário Pinheiro
Columbia Record 11.644
Acompanhamento de orquestra
Lançado em 1910

Relançamento
Columbia Record B-31, matriz 11.644
Acompanhamento de orquestra
Lançado em 1912
Obs. A versão aqui apresentada é a do relançamento de 1912.



Banda do 52º de Caçadores
Disco Columbia Record 11.885
Lançado em 1910

Relançamento
Disco Columbia B-80, matriz 11.885
Lançado em 1912
Obs. A versão aqui apresentada é a do relançamento de 1912.



Letras

Há duas versões para a música
  
Pepa Delgado e Mário Pinheiro

O Vatapá, comida rara
é assim yayá que se prepara

Você limpa a panela bem limpa
quando o peixe lá dentro já está
Bota leite de coco e gengibre
A pimenta da Costa e o fubá
Camarão torradinho se ajunta
ao depois da cabeça tirada

Mas então a cabeça não entra?

Qual cabeça, seu moço
que nada!

Mexe direito pra não queimar!
Mexe com jeito o vatapá!

Amendoim ou castanha torrada
o azeite, do bom, de dendê
Na panela se bota e se mexe
Mas, precisa de mão pra mexer

Pois então, sinhá dona, eu mexo
que sou cabra feroz neste assunto
Vem cair, já, num bom remelexo
Vamos, vamos, mexer nós dois juntos

Mexe direito pra não queimar
Mexe com jeito o vatapá



Os Geraldos, Medina de Sousa e Geraldo Magalhães, Albertina Rosa e Orestes de Mattos

O Vatapá, comida rara
é assim yoyô que se prepara

Você limpa a panela bem limpa
quando o peixe lá dentro já está
Bota o leite de coco e gengibre
A pimenta da Costa, o fubá
Camarão torradinho se ajunta
ao depois da cabeça tirar

Mas então a cabeça não entra, minha filha?

Que cabeça, seu moço
que nada!

Mexe direito pra não queimar!
Mexe com jeito o vatapá!

Quebra!
Aí, mulata velha, sacode!

O vatapá pra se comer
é quente yoyô quase a ferver.



Que tal comer?
Ah, baiana velha, já sei
eu sou um mestrão!
Sim?
Tenho comido os mais variados!
Avariados, yoyô?
Não! Digo, quitutes.
(Que é que tem yoyô?)
Ah!
Escuta, escuta.
Diga, yoyô, diga.
Escuta, minha nega, à vontade.

Vá mexendo devagar, não pare
até o molho do peixe estar feito
Depois ponha um pratinho na mesa
A colher, no centro, por dentro
Ao bom provador nem precisa
o dedo meter no quitute

Ai, yoyô, se provar você come?
Ah, se provar, baiana, que nada!

Mexe direito pra não queimar
Mexe com jeito o vatapá

Vamos comer vatapá!
Anda, baiana!
Entra com teu jogo pra mim!
Vamos embora, yoyô!
Ah, que vatapá gostoso!
Entra, com teu jogo, baiana, hein!
Ah, eu te estrago, baiana!
Eu sei yoyô, ??
Olha o cabrera, baiana!






Agradecimento ao Arquivo Nirez






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...