segunda-feira, 4 de julho de 2016

MARCELO TUPYNAMBÁ - 63 anos de saudade

Marcelo Tupynambá
www.concerto.com.br



Há 63 anos falecia o compositor, pianista e violinista MARCELO TUPYNAMBÁ.
Fernando Álvares Lobo nasceu em Tietê (SP), a 29 de maio de 1889. Era filho do maestro Eduardo Álvares Lobo e de Maria Rodrigues de Azevedo. Seu pai regia a banda Santíssima Trindade, em Tietê. Seu tio Elias também era maestro.

Aprendeu a tocar piano de ouvido e estudou violino com Savino Benedictis.

Começou a conviver com a música nos primeiros anos da infância. Em 1904, já morando em Itapetininga (onde a família se mudou quando ele tinha cinco anos) e matriculado no Ginásio São José de Pouso Alegre (MG), chegou a executar diversos instrumentos e deu os primeiros passos em seus estudos de regência. Entre seus colegas estava o futuro colega Metotti Del Picchia.

Aos 15 anos excursionou pelo interior de São Paulo, acompanhando o flautista Pattápio Silva.

Em 1911, começou o curso de engenharia civil na Politécnica de São Paulo. Nessa ocasiçao, optou por adotar um pseudônimo para assinar suas composições, uma vez que o diretor do estabelecimento era radicalmente contra ao fato de estudantes quererem ser músicos.

Em 1914, fazendo uma referência aos indígenas brasileiros e ao personagem da ópera La Bohème, optou pelo nome Marcelo Tupynambá.

Como Marcelo Tupynambá abraçou a carreira musical e como Fernando Álvares Lobo se tornou engenheiro civil, quando se formou em 1916.

Em 1917, transferiu-se para Barretos e exerceu a profissão de engenheiro até 1923, onde interrompeu o trabalho devido a uma doença nos olhos. Uma vez afastado da engenharia, voltou-se totalmente para a música, compondo e apresentando-se em espetáculos.

Em 1918 se casou co Irene de Menezes, tendo o casal uma filha, Cecília de Menezes Lobo.

Em 1914, Marcelo Tupynambá musicou a revista São Paulo Futuro, de Danton Vampré, estreada em São Paulo no Teatro São José. Em 1916, a canção homônima seria gravada por Bahiano.

Continuou compondo e colaborando com algumas peças, tendo suas músicas gravadas.
Nos anos 20 e 30 vários intérpretes gravariam suas músicas, tanto no processo mecânico como no elétrico.

Em 1931 teve sua toada, Esse Jeitinho Que Você Tem, cantada por Helena Pinto de Carvalho no filme Coisas Nossas, de 1931, nosso primeiro filme musical.

Musicou poemas de Manuel bandeira, Mário de Andrade, Guilherme de Almeida, Coelho Neto, entre outros, e teve suas composições gravadas por Abigail Maia, Sylvinha Mello, Francisco Alves, Vicente Celestino, Gastão Formenti e Bidu Sayão, entre outros artistas.

Marcelo Tupynambá faleceu em São Paulo (SP), em 04 de julho de 1953.


Marcelo Tupynambá
www.concerto.com.br




SÃO PAULO FUTURO
Maxixe
Gravado por Bahiano
Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon Record 120.986
Matriz R-16
Lançado em 1916



PIERRÔ
Tanguinho
Gravado pela Orquestra Pickman
Disco odeon Record 121.338
Gravado em 1917 e lançado em agosto
Obs. Na mesma época seria gravada com letra por Mário Pinheiro.



MARICOTA SAI DA CHUVA
Tanguinho
Gravado pelo Grupo O Passos no Choro
Acompanhamento de flauta, Cavaquinho e Violão
Disco Odeon Record 121.515
Lançado em 1919



PALHAÇO
Foxtrot
Gravado por Fernando
Disco Odeon Record 122.815
Lançado em 1925




CABOCLA APAIXONADA
Toada Sertaneja
Gravada por Fernando
Acompanhado de Coro
Disco Odeon Record 122.816
Lançado em 1925



PARAGUAYTA
Tango
Gravado por Albênzio Perrone
Disco Odeon 10.061-A, matriz 1371
Lançado em novembro de 1927



CANÇÃO DA GUITARRA
Canção
Gravada por Roberto Vilmar
Disco Odeon 10.142-A, matriz 1431
Lançado em março de 1928



RUANA
Canção sertaneja em parceria com Arlindo Leal
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Rádio Central
Disco Odeon 10.215-A, matriz 1675
Gravado em 1928 e lançado em agosto

  

BALAIO
Maxixe
Gravado por Jesy Barbosa e Mário Pessoa
Acompanhamento da Orquestra Victor
Disco Victor 33.219-A, matriz 50065-2
Gravado em 28 de setembro de 1929 e lançado em novembro



NOITE DE ENCANTO
Valsa
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento da Orquestra Brunswick
Disco Brunswick 10.095-B, matriz 467
Lançado em setembro de 1930



ESSE JEITINHO QUE VOCÊ TEM
Toada Brejeira cantada por Helena Pinto de Carvalho no filme Coisas Nossas, de 1931
Gravada por Helena Pinto de Carvalho
Acompanhamento de Orquestra Típica e Coro
Disco Columbia 22.054-B, matriz 381081-2
Lançado em outubro de 1931

  

CASTELO DE CARTAS
Valsa
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 33.669-A, matriz 65688-1
Gravado em 29 de março de 1933 e lançado em junho













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...