quinta-feira, 22 de setembro de 2016

ESTELA (STELA) - MODINHA DE 1909

ABDON LYRA, 1914.
Jornal das Moças
http://memoria.bn.br/



Há 54 anos falecia o compositor e maestro ABDON LYRA.

Abdon Lyra Nasceuem També (PE) em 23 de setembro de 1887 e faleceu no Rio de Janeiro (RJ) em 22 de setembro de 1962, um dia antes de completar 75 anos. 

Para homenageá-lo, trouxe uma modinha feita por ele em parceria com Adelmar Tavares, que fez muito sucesso, Estela (Stela).

Essa música foi gravada várias vezes e eu apresento alguns desses intérpretes e seus registros.





MÁRIO PINHEIRO
Gravou como serenata com acompanhamento de piano.
Disco Odeon Record 108.281, matriz XR-841
Lançado em 1909



Regravou em 1910
Disco Victor Record 99.730
Lançado em 1910



ORESTES DE MATOS
Gravou como modinha
Disco Brazil Record 70.312
Lançado em 1910



ARTHUR CASTRO
Gravou como modinha
Disco Favorite Record 1-455.089
Lançado em 1911



Regravou em 1913 como modinha
Disco Phoenix Record 278, matriz 1501



EDUARDO DAS NEVES
Gravou como modinha com acompanhamento de violão
Disco Odeon Record 108.678
Gravado em lançado em 1912



STEFANA DE MACEDO
Gravou como canção popular, em arranjo da própria Stefana de Macedo
Acompanhamento de violões
Disco Columbia 5.067-B, matriz 380237
Lançado em fevereiro de 1929



PARAGUASSU
Gravou como modinha
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 15.419-A, matriz 10445-1
Gravado em 12 de julho de 1945 e lançado em setembro




ESTELA
(letra 1)

Que noite!
O plenilúnio é como um sonho
Assim tristonho
Boiando pelo céu
Beijando o mar
As estrelas, lá no azul, estão luzindo
Estás dormindo
E eu venho,
Meu amor,
Te despertar
Ai, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto, o céu sorrindo, lindo
Acorda, abre a janela,
Estela

 Desperta!
Dorme toda a natureza, que beleza!
Gemia à tua voz, a minha voz
Entre lírios, violetas, crisântemos, cantaremos
Como dois infelizes rouxinóis.
Ai, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto, o céu sorrindo, lindo
Acorda, abre a janela,
Estela

Canto, embora, amanhã
Encontres morta à sua porta
A visão que te amava no abandono
Irás ao ver, Estela, que sou eu
Quando morreu
O rouxinol que te embalava o sono
Ai, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto, o céu sorrindo, lindo
Não abras a janela
Estela



ESTELA
(letra 2)

Que noite!
O plenilúnio é como um sonho
Assim tristonho
Boiando pelo céu
Beijando o mar
As estrelas, lá no azul, estão luzindo
Estás dormindo
E eu venho,
Meu amor,
Te despertar
Ah, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto, o céu sorrindo, lindo
Acorda, abre a janela,
Estela

Em teu leito de seda
Dormes quieta
E teu poeta
Canta para teu sono suavizar
Dorme, eu mostrarei como é suave
Um canto d´ave gorjeando
De amor fitando o mar
Ah, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto, o céu sorrindo, lindo
Acorda, abre a janela,
Estela

Se algum dia encontrares
Quase morta em tua porta
A visão que te amava em abandono
Irás ao ver, Estela, quem fui eu
Como morreu o rouxinol que te embalava o sono
Ah, como beija o mar, o luar
E o mar suspira, geme e treme
No alto o céu sorrindo, lindo

E acorda, abra a janela Estela







Agradecimento ao Arquivo Nirez











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...