sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

PAPAI NOEL DAS ESTRELAS DO RÁDIO

BOAS FESTAS
Aproveitando o título da ótima marcha de Assis Valente, gravada por Carlos Galhardo em 1933, deixo os meus votos de Feliz Natal aos amigos do blog 
Estrelas que nunca se apagam.



Em 1935, a revista Carioca fez uma matéria sobre a vinda de Papai Noel para as estrelas do rádio. Vale lembrar que Yolanda Pereira, cuja foto aparece nessa página, era a cantora e não a nossa primeira Miss Universo 1930, ambas com o mesmo nome.
Acompanhem a matéria ao som de músicas natalinas, entre marchas, canções e (até!) tango, com alguns dos melhores de nossos intérpretes.




Sinos de Natal
Pedro Celestino (1926)
 



"A noite de Natal de Alzirinha Camargo, Carmen e Aurora Miranda, Marília Baptista, Yolanda Pereira e das irmãs Pagãs.

Natal, porta dos divinos mistérios!

Desde que, na véspera, o dia empalidece e as estrelas tuaxiam as alturas celestiais, o mundo se reveste para as crianças de formosura profunda, de indecifrável sentido. Anda-lhes à volta algo de etéreo, de imponderável, de sutil – uma leve sensação de medo e de júbilo, de inquietude e de promessa, de susto e de amor. Nos corredores ensombrados como que ouvem cicios intrigantes, vozidos maliciosos, sons fofos de passos que se esvaem tão logo se alertem ouvidos. As sombras de arvoredo entrevistas pelas vidraças parecem animadas de intenções de gestos humanos. Entre essas sombras, movediças, querem ver, de vez em vez, uma outra, solerte, gorda, de contornos irregulares, qualquer coisa como um homem barbaçudo, de ombros largos, de olhos brilhantes, vergado ao peso de uma carga que jamais se distingue com precisão. É o fantasma de Papai Noel, que perturba as imaginações infantis. Desejam-no, de certo. Mas, de outro lado, temem sua aparição subta. Nessa noite, os pequenos corações adormecem assustados e encantados. Uma asa de mosca acordá-los-ia se não fosse a vontade divina que, como um perfume, sobre eles baixa a cortina de seda do sono perfeito.

Não são apenas as crianças que esperam o Natal, com a alma cheia de ansiedade e de emoção. A gente grande também... As estrelas do broadcasting também tem a sua noite de Natal, também recebem a visita de Papai Noel.

Carioca imaginou o que seria a noite de Natal de algumas dessas figuras do meio radiofônico. E desse capricho de imaginação, desse lance de fantasia, eis os documentos colhidos pela nossa objetiva". Revista Carioca, dezembro de 1935.


Recadinho de Papai Noel
Carmen Miranda (1934)




"Carmen e Aurora Miranda, as duas estrelas do microfone e irmãs inseparáveis, 
dormem entre os brinquedos que o  bom velhinho lhes deixou..."


Se Papai Noel quisesse
Sylvio Caldas (1936)





"Enquanto Alzirinha Camargo dorme, Papai Noel lhe deixa
um punhado de lembranças".


A Bênção Papai Noel
Almirante (1934)





"As Irmãs Pagãs, precisamente por serem pagãs,
esquecidas por Papai Noel..."


Eu sou pobre, pobre, pobre
Aurora Miranda






"Yolanda Pereira, do cast da Rádio Guanabara, preferiu ficar desperta
para receber Papai Noel em pessoa..."


"Marília Baptista desperta, encantada e sorridente,
entre os brinquedos que Papai Noel lhe deu".








Agradecimento ao Arquivo Nirez que sempre nos apoiou.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...