sábado, 28 de maio de 2016

EFEMÉRIDES DE 28 DE MAIO: CYRO MONTEIRO, SÍLVIO VIEIRA E GASTÃO FORMENTI






CYRO MONTEIRO


Há 103 anos nascia Cyro Monteiro, grande sambista dos anos 30, 40 e 50.


PERDOA
Samba de Kid Pepe e João Barcelos

Acompanhamento da orquestra Odeon sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.309-A, matriz 5208
Gravado em 10 de dezembro de 1935 e lançado em janeiro de 1936



TUA BELEZA
Samba de Marques Porto e Valdemar Silva
Acompanhamento se Regional
Disco Victor 34.515-A, matriz 33156-1
Gravado em 12 de setembro de 1939 e lançado em novembro





SÍLVIO VIEIRA


Há 117 anos nascia o tenor Sílvio Vieira, 
grande nome do canto lírico nacional dos anos 20, 30 e 40.


GOSTAR DE ALGUÉM
Tango fado de Freire Jr.
Disco Odeon Record 123.082
Lançado em 1926



FRÔ DO IPÊ
Canção de Bonfíglio de Oliveira e Nelson de Abreu
Acompanhamento de Orquestra dirigida por João Martins
Disco Victor 33.558-A, matriz 65477-1
Gravado em 29 de abril de 1932 e lançado em junho






GASTÃO FORMENTI


Há 42 anos falecia Gastão Formenti, cantor de sucesso nos anos 20, 30 e 40.

ADEUS EULINA
Modinha brasileira de Catullo da Paixão Cearense
Acompanhamento de Rogério Guimarães ao violão
Disco Odeon 10.125-A, matriz 1487
Lançado em fevereiro de 1928




TU ÉS A ÚNICA
Valsa de Milton Amaral
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 11.598-A, matriz 5791
Gravado em 04 de abril de 1938 e lançado em maio






Agradecimento ao Arquivo Nirez






















quarta-feira, 25 de maio de 2016

RECUPERAÇÃO DAS MÚSICAS DO BLOG



Tenho a satisfação de informar a todos que os arquivos musicais e os links do Blog Estrelas Que Nunca Se Apagam estão recuperados. Confiram as postagens desde o início e encontrem grandes surpresas musicais.
Abraços!






quarta-feira, 18 de maio de 2016

DE CHOCOLAT - 129 ANOS

De Chocolat
oblogdoabelha.blogspot.com



Há 129 anos nascia o cantor, compositor, teatrólogo e poeta DE CHOCOLAT.

Nascido João Cândido Ferreira em Salvador (BA), a 18 de maio de 1887, ficou conhecido por dois pseudônimos. O primeiro, Jocanfer, no início de sua carreira, e De Chocolat, depois de uma temporada em Paris. O público francês lhe conferiu esse apelido por ele ser negro. Ao voltar ao Brasil, adotou esse pseudônimo.

Em 1926, fundou a Companhia Negra de Revistas, convidando Jaime Silva (único branco) para sócio.
A Companhia Negra de Revistas estreou no dia 31 de julho de 1926 com a revista Tudo Preto, de sua autoria, no Teatro Rialto. A direção era sua e de Alexandre Montenegro. Também atuou como o Compadre da revista. No elenco, estavam Jandira Aymoré (futura esposa de Pixinguinha), Rosa Negra, Osvaldo Viana, Dalva Espíndola (irmã de Aracy Côrtes), Mingote e Guilherme Flores. A orquestra também era composta de negros, tendo Pixinguinha como regente e Sebastião Cirino como autor das músicas. Coube à Dalva Espíndola lançar a música Cristo nasceu na Bahia, de Duque e Sebastião Cirino, um grande sucesso no carnaval de 1927, sendo gravada na Odeon por Arthur Castro.

De Chocolat compôs músicas que seriam gravadas, entre elas se destaca Baianinha, sucesso em disco com Aracy Côrtes, mas, também gravada pela soprano Laís Areda. Também compôs o samba Mulata, que Francisco Alves gravou.

Ao longo da vida ele escreveu ou produziu diversas peças para o teatro.
Por ocasião de sua morte, no Rio de Janeiro, em 27 de dezembro de 1956, a Revista do Teatro, publicada pela SBAT, em seu número de fevereiro de 1957, dedicou-lhe uma reportagem, onde se lê: "Com a morte de De Chocolat perdeu o Rio de Janeiro um dos seus expoentes artísticos da Velha Guarda. Boêmio até a raiz dos cabelos, De Chocolat, cujo verdadeiro nome era João Cândido Ferreira, foi um artista completo de variedades: repentista, improvisador e imitador, que cantava com muita graça e dizia versos como pouca gente, com uma simplicidade de espantar.".





BAIANINHA
Samba em parceria com Oscar Mota
Gravado por Aracy Côrtes
Acompanhamento da Orquestra Parlophon
Disco Parlophon 12.926-B, matriz 2365
Lançado em março de 1929



MISS BRASIL
Canção em parceria com Donga (Ernesto dos Santos)
Gravada por Alfredo Albuquerque
Acompanhamento da Rio Dance Orquestra
Disco Odeon 10.348-A, matriz 2357
Lançado em março de 1929



BAIANINHA

Maxixe em parceria com Oscar Mota
Gravado por Laís Areda
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.355-A, matriz 2404
Gravado em 27 de fevereiro de 1929 e lançado em abril



MULATA
Samba
Gravado por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.472-B, matriz 2.870
Lançado em outubro de 1929


  
TRÊS DA MANHÃ
Fox canção em parceria com Manoel Pereira Franco
Gravado por Moacir Bueno Rocha
Acompanhamento da Orquestra Columbia
Disco Columbia 22.144-B, matriz 381295
Lançado em 1932


  
GUARDE A ÚLTIMA VALSA PARA MIM
Valsa em parceria com Walter Hirsch
Gravação de As Três Marquesas
Acompanhamento de Harry Korsarin e Seus Almirantes
Disco Victor 33.563-B, matriz 65447-2
Gravado em 11 de abril de 1932 e lançado em junho



BOA NOITE, QUERIDA
Fox trot em parceria com Ray Noble
Gravado por Castro Barbosa
Acompanhamento de Harry Korsarin e Seus Almirantes
Disco Victor 33.563-A, matriz 65439-5
Gravado em 10 de maio de 1932 e lançado em junho



NA ALDEIA
Samba em parceria com Carusinho e Sílvio Caldas
Gravado por Sílvio Caldas
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de João Martins
Disco Victor 33.727-B, matriz 65806-1
Gravado em 18 de julho de 1933 e lançado em dezembro



FALANDO AO TEU RETRATO
Valsa canção em parceria com Jaime Florence (Meira)
Gravada por Augusto Calheiros
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 11.221-B, matriz 5011
Gravado em 30 de janeiro de 1935 e lançado em maio



FELICIDADE
Canção em parceria com J. C. Rondom
Gravada por Gastão Formenti
Acompanhamento da Orquestra Copacabana sob a direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.537-B, matriz 5683
Gravado em 05 de outubro de 1937 e lançado em novembro









Agradecimento ao Arquivo Nirez









segunda-feira, 16 de maio de 2016

ADEUS A CAUBY PEIXOTO

Cauby Peixoto
gente.ig.com.br


Faleceu ontem, dia 15 de maio, às 23:50, o cantor CAUBY PEIXOTO, uma das maiores vozes de nossa MPB.
Ele estava internado no hospital Sancta Maggiore, em São Paulo.
Sua assessoria de imprensa ainda não divulgou a causa da morte,
Cauby Peixoto estava com 85 anos e em plena atividade, se apresentando em turnê pelo Brasil ao lado de Ângela Maria com o espetáculo 120 anos de Música.


colunas.cbn.globoradio.globo.com



Daqui Para a Eternidade
Fox de Robert Wells, Freddie Karger em versão de Lourival Faissal
Acompanhamento de Renato de Oliveira e Sua Orquestra
Disco Columbia CB-10.107-A, matriz CBO-366
Lançado em dezembro de 1954




Tarde Fria
Bolero de Poly e Henrique Lobo
Acompanhamento de Orquestra
Disco Columbia CB-10.187-A, matriz CBO-572
Lançado em agosto de 1955



Tentação
Beguine de Edson Borges e Sidney Morais
Disco Columbia CB-10.250-B, CBO-727
Lançado em abril de 1956




Nada Além
Fox canção de Custódio Mesquita e Mário Lago
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1691-A, matriz BE6-VB-1261
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em novembro desse ano




Três Lágrimas
Canção de Ary Barroso
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1738-B, matriz BE6-VB-1265
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em março de 1957



Flor do Asfalto
Fox canção de J. Thomaz e Orestes Barbosa
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1691-B, matriz BE6-VB-1266
Gravado em 22 de agosto de 1956 e lançado em novembro desse ano




Molambo
Samba canção de Jaime Florence "Meira" e Augusto Mesquita
Disco Columbia CB-10.267-A, matriz CBO-769
Lançado em agosto de 1956





Espera-me no Céu (Esperame En El Cielo)
Bolero de Paquito, L. Vidal e Araken Peixoto
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1812-B, matriz 13-H2PB-0044
Gravado em 30 de janeiro de 1957 e lançado em julho desse ano



Tinha Que Ser
Beguine de Fernando César
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1875-B, matriz 13-H2PB-0141
Gravado em 03 de junho de 1957 e lançado em dezembro desse ano



Meu Amor Por Você
Bolero de Lourival Faissal e Edson Menezes
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1928-B, matriz 13-H2PB-0312
Gravado em 20 de dezembro de 1957 e lançado em abril de 1958











sábado, 14 de maio de 2016

MANUTENÇÃO DAS MÚSICAS DO BLOG

Alô, minhas queridas e queridos seguidores do blog Estrelas Que Nunca Se Apagam.
Como alguns devem ter percebido, várias músicas de postagens anteriores estão fora do ar, sem poderem tocar. Isso aconteceu devido ao site que eu guardava as músicas ter fechado. A maioria das músicas expostas aqui no blog estavam nesse site e ficaram prejudicadas.
Mas, irei recuperar todas. Será um trabalho um pouco lento, mas, vou conseguir resgatá-las.
Se vocês quiserem alguma postagem em especial, me falem que eu darei preferencia no resgate.
Obrigado pela compreensão,

Marcelo

sexta-feira, 13 de maio de 2016

ÂNGELA MARIA - 87 ANOS

Ângela Maria
entretenimento.r7.com



Hoje é o aniversário da grande cantora a ÂNGELA MARIA.

Abelim Maria da Cunha nasceu em 13 de maio de 1929 em Conceição de Macabu, distrito de Macaé (RJ).

Começou a cantar na adolescência no coro da Igreja Batista do bairro carioca do Estácio, onde seu pai era pastor.

Fã de Dalva de Oliveira, Abelim trabalhava como inspetora em uma fábrica de lâmpadas, General Eletric, onde soltava sua potente voz para o encanto dos operários e desespero dos chefes. Sua família era contra ela participar de programas de calouros e ela levou muitas surras da mãe porque fugia para ir aos programas cantar.

Embora seu pai não aprovasse, ela estava decidida a seguir carreira artística, passando a imitar Dalva de Oliveira.
Foi morar com uma irmã no bairro de Bonsucesso, largou o emprego e a igreja e, anos depois, receberia de Getúlio Vargas o apelido de Sapoti. Vargas lhe diria: “Menina, você tem a voz doce e a cor do sapoti”. O apelido ficou.

Em 1948, foi cantar no Dancing Avenida. Foi descoberta pelos compositores Erasmo Silva e Jaime Moreira, que a levaram para a Rádio Mayrink Veiga.

Para que a família não descobrisse, adotou o pseudônimo de Ângela Maria, apresentando-se em diversos programas radiofônicos, entre os quais o de Arnaldo Amaral Pescando Estrelas, na Rádio Clube do Brasil.

Em sua primeira apresentação no rádio, esqueceu a letra, saiu do ritmo e, quase aos prantos, cantou o samba-canção Fuga, de Renato Oliveira. Pensou que perderia o emprego, porém, a produção lhe deu um prazo de uma semana para criar um repertório próprio e deixar de imitar Dalva de Oliveira.

A partir de então, começou a revelar seu talento e originalidade.

Em 1951 estreou no disco, gravando para a RCA Victor os sambas Sou Feliz, de Augusto Mesquita e Ari Monteiro, e Quando Alguém Vai Embora, de Cyro Monteiro e Dias da Cruz.

Em 1952 atuou no filme Com o diabo no corpo, dirigido por Alinor de Azevedo.

Em 1953 lançou os sambas-canção Nem Eu, de Dorival Caymmi, e Só Vives Pra Lua, de Ricardo Galeno e Othon Russo.

Em 1954 apresentou-se no filme Rua sem sol, de Alex Viany, interpretando as músicas Vida de Bailarina e Rua sem sol.

Nesse mesmo ano foi escolhida a Melhor Cantora do Ano e eleita Rainha do Rádio, pela primeira vez, chegando a obter o total de 1.469.906 votos. Na ocasião, o jornal O Globo noticiou: “Ângela Maria assinalando uma apuração recorde de mais de um milhão de votos, inegavelmente a mais popular cantora de nosso broadcasting nesse último ano, sagrou-se a Rainha do Rádio de 1954. A coroação da soberana terá lugar na próxima terça-feira, por ocasião do Baile do Rádio, a ser realizado no Teatro João Caetano”.

Ângela Maria atravessou as décadas seguintes firmando seu sucesso e mostrando seu talento às novas gerações, angariando milhares de fãs de todas as idades.


Hoje, aos 87 anos está em plena forma, apresentando-se em shows, gravando Cds e DVDs e conquistando mais admiradores.




wp.clicrbs.com.br




www.robertomarinho.com.br




campinafm.com.br




SOU FELIZ
Samba de Augusto Mesquita e Ari Monteiro
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0788-A, matriz 092948
Gravado em 09 de maio de 1951 e lançado em julho



QUANDO ALGUÉM VAI EMBORA
Samba de Cyro Monteiro e Dias da Cruz
Acompanhamento de Regional
Disco RCA Victor 80-0788-B, matriz 092947
Gravado em 09 de maio de 1951 e lançado em julho



NEM EU
Samba canção de Dorival Caymmi
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1096-A, matriz SB-093580
Gravado em 13 de janeiro de 1953 e lançado em abril



SÓ VIVES PRA LUA
Samba canção de Ricardo Galeno e Othon Russo
Acompanhamento de Orquestra
Disco RCA Victor 80-1096-B, matriz SB-093581
Gravado em 13 de janeiro de 1953 e lançado em abril



ORGULHO
Samba canção de Valdir Rocha e Nelson Wederkind
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.123-B, matriz M-513
Lançado em agosto e setembro de 1953



RUA SEM SOL
Samba canção de Mário Lago e Henrique Gandelman
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.170-A, matriz M-641
Lançado em dezembro de 1953



VIDA DE BAILARINA
Samba canção de Américo Seixas e Chocolate
Acompanhamento de Orquestra
Disco Copacabana 5.170-B, matriz M-642
Lançado em dezembro de 1953



A LUA É DOS NAMORADOS
Marcha de Armando Cavalcanti, Klécius Caldas e Brasinha
Acompanhamento de Conjunto
Disco Continental 17.848-B, matriz C-4365
Gravado em 1960 e lançado em dezembro











Fonte: Arquivo Nirez e http://www.dicionariompb.com.br/








quinta-feira, 12 de maio de 2016

RUTH DE SOUZA - 95 ANOS

Ruth de Souza
www.assistebrasil.com.br


Hoje, a grande atriz RUTH DE SOUZA completa 95 anos de vida.
Ruth Pinto de Souza nasceu no Rio de Janeiro em 12 de maio de 1921.
Viveu com a família em uma fazenda em Porto Marinho, interior de Minas Gerais, até os 09 anos. Com a morte de seu pai, ela e a mãe voltam ao Rio de Janeiro, morando em uma vila de lavadeiras e jardineiras, no bairro de Copacabana.

Ainda menina interessou-se por teatro, quando assistia récitas no Municipal. Através da Revista Rio, tomou conhecimento do grupo de atores liderados por Abdias do Nascimento, o Teatro Experimental do Negro. Uniu-se ao grupo e fez sua estreia em O imperador Jones, de Eugene O´Neill, em 08 de maio de 1945, no palco do Municipal.

Por indicação de Paschoal Carlos Magno, recebeu bolsa de estudo da Fundação Rockefeller e passou um ano nos Estados Unidos: na Universidade Harvard, em Washington, e na Academia Nacional do Teatro Americano, em Nova York.

Em 1948, indicada por Jorge Amado, estreia no cinema em Terra Violenta, adaptação do romance Terras do sem fim, de Jorge.
Com direção do norte-americano Edmond Bernoudy, o filme ainda trazia no elenco Anselmo Duarte, Maria Fernanda, Heloisa Helena e Ziembinski. A partir de então, sua carreira prosseguiu focada no cinema.

Participou de diversas produções de empresas como Atlântida, Maristela Filmes e Vera Cruz.
Na Atlântida, rodou Falta Alguém no Manicômio (1848) e Também Somos Irmãos (1959), ambos de José Carlos Burle, e A Sombra da Outra (1950), de Watson Macedo.
Foi contratada para o elenco fixo da Vera Cruz, atuando em Ângela (1951), Terra é Sempre Terra (1952) e Sinhá Moça (1953), todos dirigidos por Tom Payne, e Candinho (1954), de Abílio Pereira de Almeida, estrelado por Mazzaropi.
Por seu desempenho em Sinhá Moça, tornou-se a primeira atriz brasileira indicada para o prêmio internacional Leão de Ouro, no Festival de Veneza de 1954, disputado com estrelas como Katherine Hepburn, Michele Morgan e Lili Palmer, para quem perdeu por dois pontos. Em 1958 firlmou Ravina, com Rubem Biáfora, um marco no cinema brasileiro.

Em 1959 viveu um momento especial no palco, quando protagonizou Oração para uma Negra, de William Faulkner, com Nydia Licia e Sérgio Cardoso, no Teatro Bela Vista, em São Paulo. Com Roberto Farias apareceu em Assalto ao Trem Pagador, em 1962, ao lado de Eliézer Gomes, Luíza Maranhão e Reginaldo Farias.

Ruth de Souza atuou em radionovelas, trabalhou em teleteatros da Tupi e Record. Em 1969 integrou o elenco da TV Globo, tornando-se a primeira atriz negra a protagonizar uma novela: A Cabana do Pai Tomás, na qual dividiu o estrelato com Sérgio Cardoso.
Por mais de 30 anos participou intensamente da teledramaturgia da emissora.
Em 1986, brilhou ao lado de Grande Otelo na novela Sinhá Moça.
No cinema ainda atuou em A Grande Arte (1991), de Walter Salles e Um Copo de Cólera (1999), de Aluísio Abranches.
Um de seus últimos filmes foi As Filhas do Vento (2004), de Zito Araújo.



memorialdafama.com




Na telenovela Verão Vermelho, 1970 
memoriaglobo.globo.com




astrosemrevista.blogspot.com

















quarta-feira, 11 de maio de 2016

O DIA 11 DE MAIO - EFEMÉRIDES

O dia de hoje, 11 de maio, marca da data de nascimento e falecimento dos seguintes artistas:


JAYME VOGELER



Há 110 anos nascia o cantor e compositor Jayme Vogeler, sobrinho do maestro e compositor Henrique Vogeler. Saiba mais sobre ele: http://zip.net/bgtgmZ


SUBLIME

Canção de Eduardo Souto e E. Pequeno

Gravado por Jayme Vogeler

Acompanhamento de Orquestra
Disco Odeon 10.846-B, matriz 4293
Lançado em novembro de 1931





SÔNIA CARVALHO


Há 28 anos falecia a cantora paulistana Sônia Carvalho, que fez muito sucesso nos anos 30, inclusive no Rio de Janeiro, sendo um dos cartazes que inaugurou a Rádio Nacional, em 1936.
Saiba mais sobre ela: http://zip.net/bnmCjd


METAMORFOSE

Batuque de Hudsos Gaia (Petit)

Gravado por Sônia Carvalho

Acompanhamento do Conjunto Regional RCA Victor
Disco Victor 34.073-B, matriz 80074-1
Gravado em 06 de janeiro de 1936 e lançado em julho





JOSÉ MARIA DE ABREU


Há 50 anos falecia o compositor José Maria de Abreu, autor de clássicos de nossa MPB como Boa Noite, Amor e Barcarola.



BOA NOITE, AMOR
Valsa de José Maria de Abreu e Francisco Matoso
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Victor Brasileira
Disco Victor 34.052-A, matriz 80111-1
Gravado em 03 de abril de 1936 e lançado em maio



BARCAROLA
Valsa de José Maria de Abreu e Francisco Matoso
Gravada por Francisco Alves
Acompanhamento da Orquestra Copacabana
Disco Odeon 11.645-B, matriz 5905
Gravado em 26 de agosto de 1938 e lançado em outubro





















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...