sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

ALMIRANTE - 37 ANOS DE SAUDADE

ALMIRANTE
Revista Carioca, nº20, 07 de março de 1936
Arquivo Nirez



Há 37 anos falecia o cantor, compositor e radialista ALMIRANTE.

Henrique Foréis Domingues nasceu em 19 de fevereiro de 1908, no Rio de Janeiro, em Vila Isabel. Era filho de Maria José Foréis e Eduardo Foréis Domingues. Seu apelido Almirante surgiu em 1926, quando servia a Marinha de Guerra do Brasil. Em 05 de julho desse ano, desfilou nas solenidades em homenagem ao hidroavião Jaú, sentado atrás do Capitão Matias da Costa. As pessoas que assistiam ao desfile perguntavam: “Que é o da frente? É o comandante. E o que está atrás? Ah, deve ser o almirante”. E assim o apelido pegou.

Era também musicólogo, pesquisador e produtor radiofônico, deixando uma obra de imenso valor.

Após servir à Marinha, estudou Contabilidade e trabalhou como guarda livros. Em 1928 conheceu João de Barro (Braguinha). Ao ir a uma festa, convidado pelo amigo, passou a fazer parte do conjunto Flor do Tempo, tocando pandeiro, ao lado de outros novos amigos: Álvaro Miranda Ribeiro (Alvinho) e Henrique Brito, aos violões. Quando foram convidados a gravar discos, resolveram formar o grupo com cinco integrantes, convidando Noel Rosa, que tocava violão. Por sugestão de Braguinha o grupo passou a se chamar Bando de Tangarás.

Foi ao lado do Bando de Tangarás que ele gravou o curta metragem Vamos Falá do Norte, filmado por Paulo Benedetti, onde Almirante canta o lundu homônimo de sua autoria. Nesse filme, de 1929, podemos ver todos os integrantes do conjunto, inclusive Noel Rosa, e Almirante, aos 21 anos.





Sua primeira gravação, ao lado do Bando de Tangarás, foi em 1929 com a embolada Galo Garnizé, que saiu no lado B do disco Odeon 10.439, que trazia no lado A o cateretê Anedotas, também gravada por eles, sendo ambas as composições da autoria de Almirante. Em novembro desse mesmo ano, ele gravaria ao lado do Bando de Tangarás, Na Pavuna, de sua autoria e de Homero Dornelas, sendo um grande sucesso no carnaval de 1930 e seu primeiro sucesso. Essa foi a primeira vez que se utilizaram vários instrumentos de percussão em uma gravação de disco.

Almirante gravou vários discos ao longo da década de 1930, sozinho ou ao lado de colegas, como Carmen Miranda, deixando registros históricos.

A carreira de Almirante é extensa e de muita importância para nossa história musical. Ele resgatou em seus programas de rádio personagens importantes de nossa música popular e o nosso repertório que, já naquela época, ia se perdendo. Ele foi casado com d. Ilka, irmã de seu amigo Braguinha. Tive a felicidade e oportunidade de conversar com ela, muito amável e atenciosa, e sempre disposta a preservar a memória do esposo. O Museu da Imagem e do Som (MIS) do Rio de Janeiro guarda uma grande parte de seu acervo, entre discos e partituras.

Almirante faleceu em 22 de dezembro de 1980, no Rio de Janeiro, aos 72 anos.


Vamos conferir algumas de suas gravações.



ANEDOTAS
Cateretê de Almirante
Gravado pelo autor
Acompanhamento do Bando de Tangarás
Disco Odeon 10.439-A, matriz 2702
Gravado em 26 de junho de 1929 e lançado em agosto



MULHER EXIGENTE
Samba de Almirante
Gravado pelo autor
Acompanhamento da Orquestra Pan American
Disco Odeon 10.529-B, matriz 3125
Lançado em janeiro de 1930



PARA O SAMBA ENTRAR NO CÉU
Samba de Almirante, J. Rui e Antônio Nássara
Acompanhamento do Bando de Tangarás
Disco Victor 33.490-A, matriz 65260-1
Gravado em 16 de outubro de 1931 e lançado em dezembro



O ORVALHO VEM CAINDO
Samba de Noel Rosa e Kid Pepe
Acompanhamento dos Diabos do Céu
Disco Victor 33.734-B, matriz 65875-1
Gravado em 03 de novembro de 1933 e lançado em janeiro de 1934



MENINA OXIGENÊ
Marcha de Hervê Cordovil e Lamartine Babo
Gravado por Almirante e Lamartine Babo
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de Pixinguinha
Disco Victor 33.740-A, matriz 65916-1
Gravado em 15 de dezembro de 1933 e lançado em janeiro de 1934



HISTÓRIA DO BRASIL
Marcha de Lamartine Babo
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de Pixinguinha
Disco Victor 33.740-B, matriz 65917-1
Gravado em 15 de dezembro de 1933 e lançado em janeiro de 1934



A BENÇÃO PAPAI NOEL
Marcha de Alcebíades Barcelos (Bide) e Alberto Ribeiro
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de Pixinguinha
Disco Victor 33.860-A, matriz 79761-1
Gravado em 19 de outubro de 1934 e lançado em outubro


  
DEIXA A LUA SOSSEGADA
Marcha de João de Barro e Alberto Ribeiro
Acompanhamento dos Diabos do Céu, sob a direção de Pixinguinha
Disco Victor 33.882-B, matriz 79793-1
Gravado em 03 de dezembro de 1934 e lançado em janeiro de 1935



YES, NOS TEMOS BANANA
Marcha de João de Barro e Alberto Ribeiro
Acompanhamento da Orquestra Odeon, soba direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.550-A, matriz 5700
Gravado em 04 de novembro de 1937 e lançado em janeiro de 1938



TOURADAS EM MADRID
Marcha de João de Barro e Alberto Ribeiro
Acompanhamento da Orquestra Odeon, soba direção de Simon Bountman
Disco Odeon 11.550-B, matriz 5714
Gravado em 25 de novembro de 1937 e lançado em janeiro de 1938











 Agradecimento ao Arquivo Nirez













Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...