segunda-feira, 30 de abril de 2018

DORIVAL CAYMMI - 104 ANOS

DORIVAL CAYMMI
http://www.carloscalado.com.br



Há 104 anos nascia o compositor, cantor e violonista DORIVAL CAYMMI.

Nascido em Salvador, Bahia, em 30 de abril de 1914, Dorival Caymmi foi um dos maiores compositores de nossa música, deixando vários clássicos gravados por ele ou por grandes intérpretes.

Ele faleceria no Rio de Janeiro em 16 de agosto de 2008, aos 94 anos.

Trago algumas de suas composições, como o clássico O que é que a baiana tem?, que o lançou no cenário musical brasileiro e contribuiu para que Carmen Miranda, interpretando a baiana, ganhasse o mundo.



O QUE É QUE A BAIANA TEM?
Samba Típico Baiano de Dorival Caymmi
Gravado por Carmen Miranda e Dorival Caymmi
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 11.710-A, matriz 6023
Gravado em 27 de fevereiro de 1939 e lançado em abril



A PRETA DO ACARAJÉ
Cena Típica Baiana de Dorival Caymmi
Gravada por Carmen Miranda e Dorival Caymmi
Acompanhamento de Regional
Disco Odeon 11.710-B, matriz 6024
Gravado em 27 de fevereiro de 1939 e lançado em abril



O DENGO QUE A NEGA TEM
Samba de Dorival Caymmi
Gravado por Carmen Miranda
Acompanhamento do Conjunto Odeon
Disco Odeon 11.976-A, matriz 6471
Gravado em 06 de abril de 1940 e lançado em abril de 1941



SAMBA DA MINHA TERRA
Samba de Dorival Caymmi
Gravado pelo Bando da Lua
Disco Columbia 55.245-A, matriz 325
Gravado em 19 de outubro de 1940 e lançado em novembro



O MAR I
Canção de Dorival Caymmi
Gravada por Dorival Caymmi
Acompanhamento de Radamés Gnattali e Sua Orquestra
Disco Columbia 55.247-A, matriz 328-1
Gravado em 07 de novembro de 1940 e lançado em dezembro



O MAR II
Canção de Dorival Caymmi
Gravada por Dorival Caymmi
Acompanhamento de Radamés Gnattali e Sua Orquestra
Disco Columbia 55.247-B, matriz 329-2
Gravado em 07 de novembro de 1940 e lançado em dezembro



VOCÊ JÁ FOI À BAHIA?
Samba de Dorival Caymmi
Gravado pelos Anjos do Inferno
Acompanhamento de Léo, Harry, Moacir, Alberto Felipe e Aluísio
Disco Columbia 55.303-A, matriz 453-4
Gravado em 27 de setembro de 1941 e lançado em outubro



REQUEBRE QUE EU DOU UM DOCE
Samba de Dorival Caymmi
Gravado pelos Anjos do Inferno
Acompanhamento de Léo, Harry, Moacir, Alberto Felipe e Aluísio
Disco Columbia 55.303-B, matriz 454-4
Gravado em 27 de setembro de 1941 e lançado em outubro



A JANGADA VOLTOU SÓ
Canção Praieira de Dorival Caymmi
Gravada por Dorival Caymmi
Acompanhamento de violão
Disco Columbia 55.304-B, matriz 460-1
Gravado em 03 de outubro de 1941 e lançado nesse mesmo mês



VATAPÁ
Samba Receita de Dorival Caymmi
Gravado pelos Anjos do Inferno
Disco Columbia 55.380-A, matriz 557-1
Gravado em 04 de setembro de 1942 e lançado em outubro









Agradecimento ao Arquivo Nirez













sexta-feira, 27 de abril de 2018

DILU MELO - 18 ANOS DE SAUDADE


DILU MELO
O Malho, 1938.
http://memoria.bn.br


Há 18 anos falecia a cantora, compositora, pesquisadora de folclore e instrumentista DILU MELO.

Maria de Lourdes Argollo Oliver nasceu no Maranhão, na cidade de Viena, em 25 de setembro de 1913. Aos cinco anos de idade começou a estudar música e violino. Sua mãe, D. Nenê, ensinou-lhe as primeiras técnicas de violão, quando a menina tinha nove anos, também estudando piano com Elizéne D´Ambrosio.

Criança precoce, aos 10 anos compôs sua primeira música, uma valsinha e, aos 13, tirou diploma no Conservatório de Música de Porto Alegre, recebendo medalha de ouro pela impressionante técnica que demonstrava em tão tenra idade. Nessa época, realizou um concerto no Teatro Colón, na Argentina, ao lado do também precoce pianista Angelito Martinez. O governo argentino deu-lhe um prêmio para viajar por toda a Argentina, divulgando seu talento e o de Andelito Martinez. No Teatro Municipal do Rio de Janeiro, ela tocou árias das óperas Bohéme e Vida de Jesus.

Dilu Melo também estudou canto lírico, mas a música regional, como a gaúcha, era a sua paixão. Quando passou a morar no Rio de Janeiro, no início da década de 1930, chamou a atenção do maestro Martinez, que a levou para tocar na Rádio Cruzeiro do Sul. Em São Paulo, apresentou-se na Rádio Kosmos, sendo convidada a gravar seu primeiro disco pela gravadora Columbia. Aí, registrou em 1938, Engenho d´água, de sua autoria e de Santos Meira, e Coco babaçu, de sua autoria. O Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), do Estado Novo, contratou-a para percorrer o Brasil divulgando a música brasileira. Voltou à Argentina, para divulgar a nossa música, onde morou por dois anos.

Nos anos 40 voltou a gravar discos e foi contratada pela Rádio Nacional, tendo se apresentado também no Cassino Atlântico.

Também lecionou dicção, impostação, danças folclóricas e história da música, além de escrever peças infantis.

Influenciada por Antonógenes Silva, começou a tocar acordeom, ficando conhecida como A Rainha do Acordeom. Compôs 104 músicas, entre as quais, o Hino do Maranhão. Entre os intérpretes de suas músicas estão: Ademilde Fonseca, Amália Rodrigues, Carmen Costa, Nara Leão, Fagner, Clara Nunes e Dóris Monteiro.

Passou a ser afiliada da Sociedade Brasileira de Autores Teatrais (SBAT) desde 1966.

Dilu Melo faleceu no Rio de Janeiro, em 27 de abril de 2000, aos 86 anos.


Trago algumas de suas gravações na Columbia e na Continental, entre os anos de 1938 e 1952.



ENGENHO D´ÁGUA
Cena Brasileira de Dilu Melo e Santos Meira
Gravada por Dilu Melo e Santos Meira
Acompanhamento de Grupo Típico
Disco Columbia 8.345-B, matriz 3608-1
Lançado em 1938



COCO BABAÇU
Coco Nortista de Dilu Melo
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento de Grupo Típico
Disco Columbia 8.345-B, matriz 3609-1
Lançado em 1938



FIZ A CAMA NA VARANDA
Chote de Ovídio Nunes e Dilu Melo
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento do Conjunto Tocantins
Disco Continental 15.126-A, matriz 724-2
Lançado em abril de 1944



SAPO CURURU
Coco de Dilu Melo
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento do Conjunto Tocantins
Disco Continental 15.126-B, matriz 725-2
Lançado em abril de 1944



LÁ NA SERRA
Valsa Brejeira de Lourenço Barbosa (Capiba)
Gravada por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.024-A, matriz 10914-1
Gravado em 31 de julho de 1948 e lançado em março/abril de 1949



QUAL O VALOR DA SANFONA
Schottisch de Dilu Melo e J. Portela
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.024-B, matriz 10916-1
Gravado em 31 de julho de 1948 e lançado em março/abril de 1949



RECORDANDO OS PAGOS
Rancheira de Dilu Melo e Zélia Majjessi
Gravada por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.207-A, matriz 10917-1
Gravado em 31 de julho de 1948 e lançado em maio/junho de 1950



AS COISAS ERRADAS DO MUNDO
Baião de Dilu Melo e Mardokéo Nacre
Gravada por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.207-B, matriz 10915-1
Gravado em 31 de julho de 1948 e lançado em maio/junho de 1950



MARAVIA
Baião de Dilu Melo e Jairo José
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.592-A, matriz 11386-1
Gravado em 15 de maio de 1952 e lançado em julho/agosto de 1952



TUDO É VERDADE
Baião Humorístico de Dilu Melo e Nestor de Holanda
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.592-B, matriz 11391-1
Gravado em 15 de maio de 1952 e lançado em julho/agosto de 1952



REDINHA DE ALGODÃO
Chote Baião de Dilu Melo
Gravado por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.621-A, matriz 11387-1
Gravado em 15 de maio de 1952 e lançado em setembro/dezembro de 1952



MEIA CANHA
Polca Gaúcha de Dilu Melo e Ovídio Chaves
Gravada por Dilu Melo
Acompanhamento de Rago e Seu Conjunto
Disco Continental 16.621-B, matriz 11390-1
Gravado em 15 de maio de 1952 e lançado em setembro/dezembro de 1952









Agradecimento ao Arquivo Nirez

Fonte: dicionariompb.com.br












quinta-feira, 26 de abril de 2018

J. B. DE CARVALHO - 117 ANOS

J. B. DE CARVALHO
Carioca, 1938.
Arquivo Nirez



Há 117 anos nascia o cantor e compositor J. B. DE CARVALHO.

João Paulo Batista de Carvalho nasceu no Rio de Janeiro, em 26 de abril de 1901.

Sua carreira artística teve início em 1931, quando liderou o Conjunto Tupy, na extinta Rádio Cajuti, onde interpretava corimas, músicas cantadas durante os rituais de umbanda ou candomblé. Durante muitos anos dirigiu o Conjunto Tupy, do qual fazia parte, entre outros, Yolanda Osório, Zaíra de Oliveira, Francisco Sena e Herivelto Martins.

Conhecido como “O Batuqueiro Famoso”, J. B. de Carvalho foi pioneiro na apresentação de pontos de umbanda em programas de rádio e nos discos. Relatos contam que o grupo fez apresentações em quase todas as emissoras do Rio de Janeiro, no começo da década de 1930, onde vez ou outra acontecia um fato inusitado: a polícia interrompia as apresentações, pois algumas pessoas entravam em transe ao ouvir as músicas. Ele mesmo foi preso várias vezes, dizendo que sempre era solto devido à sua amizade com o presidente Getúlio Vargas.

J. B. de Carvalho lançou seu primeiro disco solo em 1931, pela gravadora Victor. O disco trazia os batuques E vem o Sol e Na minha Terrera, ambos de sua autoria. Nesse mesmo ano, gravou pela Parlophon a marcha Isto é azar e o samba Gente faladeira, ambos de Maximiliano F. da Costa. Também em 1931, começou a gravar discos com o Conjunto Tupy.

Seu maior êxito como compositor foi o batuque Cadê Vira-Mundo, gravado por ele e o Conjunto Tupy, que seria depois regravado por Xavier Cugat.

Suas gravações incluíam pontos de santos, marchas, sambas, em um rico e variado repertório. Também lançou LPs com músicas de umbanda.

Afastado do rádio no final dos anos 60, retornou em 1971, passando a dirigir na Rádio Carioca o programa A Carioca dos Terreiros, de grande audiência. O programa contava com o locutor Moreira e J. B. Júnior, seu filho, que também era pandeirista e compositor da Portela.

J. B. de Carvalho faleceu no Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1979, aos 78 anos.


Trago algumas de suas gravações suas na Victor e na Odeon, entre 1932 e 1941.



SAUDADE DO VAQUEIRO
Canção Toada de J. B. de Carvalho e P. Nascimento
Gravada por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Victor 33.977-A, matriz 65493-1
Gravado em 14 de maio de 1932 e lançado em setembro de 1935



MEIA NOITE
Macumba de J. B. de Carvalho e J. Piedade
Gravada por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Victor 33.966-A, matriz 79905-1
Gravado em 14 de maio de 1935 e lançado em agosto



SINHÁ MARIA ROSA
Toada Cateretê de Roberto Martins e Ataulfo Alves
Gravada por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Victor 33.966-B, matriz 79906-2
Gravado em 14 de maio de 1935 e lançado em agosto



CRIANÇA LOUCA
Marcha de Sátiro de Melo
Gravada por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy e Escola de Samba, dirigida por Sátiro de Melo
Disco Victor 34.015-A, matriz 80040-1
Gravado em 13 de dezembro de 1935 e lançado em janeiro de 1936



SE VOCÊ NÃO QUER SABER DE MIM
Samba de Sátiro de Melo
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy e Escola de Samba, dirigida por Sátiro de Melo
Disco Victor 34.015-B, matriz 80043-1
Gravado em 13 de dezembro de 1935 e lançado em janeiro de 1936



JURO
Samba de Milton de Oliveira e Haroldo Lobo
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Victor 34.243-B, matriz 80569-1
Gravado em 05 de agosto de 1937 e lançado em dezembro



EM SONHOS TE BEIJEI
Samba de Djalma Esteves e Milton de Oliveira
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Odeon 11.763-A, matriz 6164
Gravado em 19 de julho de 1939 e lançado em setembro



QUANDO O MEU AMOR MORREU
Samba, arranjo de Djalma Esteves, Milton de Oliveira e J. B. de Carvalho
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Odeon 11.763-B, matriz 6165
Gravado em 19 de julho de 1939 e lançado em setembro



FALSA JURA
Samba de Paulo Rodrigues e J. H. Hermida
Gravado por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Odeon
Disco Odeon 11.882-B, matriz 6386
Gravado em 23 de maio de 1940 e lançado em agosto



LENDA DA ROSA VERMELHA
Marcha Rancho de Djalma Esteves
Gravada por J. B. de Carvalho
Acompanhamento do Conjunto Tupy
Disco Odeon gravado em 27 de junho de 1940 e lançado em junho de 1941









Agradecimento ao Arquivo Nirez

Fonte: dicionariompb.com.br

















Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...