sábado, 29 de janeiro de 2011

O QUE RESTOU DE VOCÊ - 1935

Belo fox gravado pela ótima cantora Sylvinha Mello.
Da autoria de Carlos Rego Barros de Souza e José Maria de Abreu.
Disco Victor 33.999-B, Matriz 79853-1
Gravado em 29 de março de 1935 e lançado em dezembro desse mesmo ano.

"Sylvia Mello, expressiva interprete de canção brasileira
e elemento de destaque da Radio Mayrink Veiga". (Revista Noite Illustrada, anos 30)




Meu ideal se desfolhou
Foi o destino quem quis
Mas a saudade que aqui ficou
É que me faz infeliz
Você levou no seu olhar
as ilusões dos sonhos meus
Você deixou a me queimar
o fogo dos lábios seus
Foi em você que encontrei
a chama do amor
Mas hoje em dia
minha alegria
se transformou em dor

sábado, 8 de janeiro de 2011

26 anos sem Aracy Côrtes

Aracy (1904 - 1985)
Há 26 anos falecia a grande cantora Aracy Côrtes.
Já enfocamos sua vida e carreira em uma série de artigos.
Sempre vale a pena conferir e lembrar Aracy.

Um Sorriso
Samba canção de Benedito Lacerda
Acompanhamento da Orquestra Odeon

Gravado em 17 de julho de 1934, lançado em agosto de 1934.
Disco Odeon 11.144-B, Matriz 4880







Artigo Aracy Côrtes, em 5 partes:
  1. http://zip.net/bgthPg
  2. http://zip.net/bhth9y
  3. http://zip.net/bdtjxs
  4. http://zip.net/bkth1T
  5. http://zip.net/bgthPl




Agradecimento ao ARQUIVO NIREZ

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

VERBO SER (Conjugação Moderna) - 1930

Ótima marcha carnavalesca da autoria do maestro Eduardo Souto.
As interpretações de Norma Bruno e Francisco Alves estão impagáveis!
O autor brinca com um episódio da política de 1930.

O saudoso amigo e  pesquisador Abel Cardoso Junior em seu livro Francisco Alves - As Mil Canções do Rei da Voz, explica a música: "Mais uma sátira política. Julinho, Júlio Prestes, aluno da escola, estava de 'castigo na casa do português', ou seja, exilado em Portugal. Washington Luís, o Barbado, 'raspado', em dois sentidos: deposto e exilaod em Paris, simbolicamente sem sua barba.
No futuro dessa conjugação, que ainda se conserva moderna, o menino (o povo?) vaticina que seria 'gozado' (tapeado) na sua expectativa de novos tempos".

Verbo Ser
(Conjugação Moderna)
Marcha Carnavalesca
(Eduardo Souto) c/ Norma Bruno
com Orchestra Copacabana
Disco 10748 - A, matriz 4073 - 02/12/30 - 01/31




Cenário: sala de aula de uma escola primária. Francisco Alves imita voz de menino. Norma Bruno é a professora. Tumulto na sala.
Entra a mestra, com os alunos recitando:

B a Bá! B e Bé! B o Bó! B u Bú! 2+2, 4! 2+3, 5! 2+4,6!

Profª (NB) Silêncio!
Aluno (FA) A fessora! A fessora! A fessora! A fessora aí!

NB Estão todos presentes e portanto vamos começar a lição!
FA Fessora, o Julinho não veio?
NB Cale a boca, atrevido! Eu já não lhe disse que o Julinho não vem mais?
FA Me desculpe, D. Oswaldina! Eu tinha esquecido que a fessora mandara o Julinho de castigo lá pra casa do português!
NB Bem, bem, não se fale mais nisso! Vamos agora ao ponto de hoje, a saber: Verbo Ser, conjugação moderna!

Entra a música:

NB Antigamente?
FA Eu era, tu eras, ele era!
NB O quê?
FA Barbado!
NB Atualmente?
FA Eu sou, tu és, ele é!
NB O quê?
FA Ah! Raspado!
Seu sordado não me prenda
Não me mande pro estrangeiro
pois se eu formei batalão
foi só pra ganhar dinheiro

NB Primeiramente?
FA Eu fui, tu foste, ele foi!
NB O quê?
FA Muita gente tapeado!
NB Futuramente?
FA Serei, serás, será!
NB O quê?
FA Ai, ai, gozado!

Seu sordado não me prenda
Não me mande pro estrangeiro
pois se eu formei batalão
foi só pra ganhar dinheiro


Na partitura vinha escrito: "Verbo Ser (Conjugação Moderna). Marcha carnavalesca. Letra e música de Eduardo Souto. Ao prezado amigo,  e talentoso trovador brasileiro, Francisco Alves. Edição Guanabara s/nº"

O Jornal Correio da Manhã, do Rio de Janeiro, no dia 01 de fevereiro de 1931, pág. 07, publicou que Verbo Ser "é fino humorismo, que ninguém deixa de achar espirituoso. Tem profunda psicologia... É perfeitamente do gosto do povo e no entanto não descamba para a chalaça grosseira e pesada. Sua música tem muita vida, é original e brilhante".

Francisco Alves, 1930

Norma Bruno, 1925
Atriz do teatro de revista muito estimada nos anos 20/30 do séc. XX. Fazia impagáveis imitações de Aracy Côrtes, Mesquitinha e também da novata Carmen Miranda, em 1930.





Fontes:
  • Fotos de Francisco Alves e Norma Bruno (21/02/1925) - Revista Para Todos, site da Biblioteca Nacional (www.bn.br).
  • Mp3 Verbo Ser - Arquivo Nirez
  • Francisco Alves - As Mil Canções do rei da Voz, de Abel Cardoso Junior. Edição Revivendo, Curitiba, 1998.






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...